Fundação Casa cede imóveis para abrigar cerca de 600 pessoas em situação de rua no frio

***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 21.06.2019 - Homens e mulheres dormem diante do Pateo do Collegio, marco da fundação da cidade de São Paulo, na capital.(Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 21.06.2019 - Homens e mulheres dormem diante do Pateo do Collegio, marco da fundação da cidade de São Paulo, na capital.(Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Fundação Casa cedeu o uso de seis imóveis de centros socioeducativos na capital paulista para abrigar cerca de 600 pessoas em situação de rua durante a operação Baixas Temperaturas, em vigor até 30 de setembro.

Localizados nas zonas leste e oeste da cidade, os espaços tiveram suas atividades suspensas devido à queda no número de adolescentes internados.

O número de pessoas que vivem nas ruas de São Paulo cresceu 31% durante a pandemia de Covid-19. Em 2021, segundo a gestão Ricardo Nunes (MDB), havia 31.884 pessoas sem-teto na cidade — 7.540 a mais do que o registrado em 2019, quando eram 24.344 nessa situação. Em relação a 2015, quando havia 15.905 moradores de rua, o número dobrou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos