Fundação Ceperj lança curso gratuito de gestão do comportamento nas organizações

A Escola de Gestão e Políticas Públicas da Fundação Ceperj lançou, nesta terça-feira (dia 19), o curso de Introdução à Gestão do Comportamento nas Organizações, mais uma opção para os servidores públicos e profissionais de empresas privadas que buscam qualificação nesse momento de pandemia.

Seguindo o sucesso do Curso Introdutório ao Teletrabalho, lançado em abril e já com quase mil capacitados, o novo curso também está disponível gratuitamente, no site da Fundação Ceperj, e foi adaptado pela equipe da Escola de Gestão para atender a demanda de capacitações 100% online.

Os interessados também podem fazer a inscrição, gratuita, diretamente por https://escolavirtual.ceadceperj.com.br/login/index.php. Ao final do curso todos os alunos receberão um certificado de conclusão.

A proposta do novo curso é reconhecer os conceitos de ética e moral nas instituições, proporcionando ao aluno uma reflexão sobre sua conduta no ambiente corporativo, mais especificamente para o momento de mudança, como o que vivenciamos agora, durante a pandemia que atinge o mundo.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)

Na opinião do secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonardo Rodrigues, a preocupação da Ceperj com este novo formato demonstra o alinhamento da instituição com a eficiência e o novo modelo de trabalho remoto que se desenhou. “A Fundação Ceperj, preocupada com a qualidade contínua do serviço público, abraçou essa missão e tem colaborado para que os servidores do Estado se adaptem a esse novo momento", comentou.

O diretor da Escola de Gestão e Políticas Públicas, Leonardo Mazzurana, explicou que o cenário organizacional, composto pelo ambiente interno e externo à organização, tem demandado das instituições públicas e privadas o comprometimento ético nas suas ações junto às partes interessadas, ou seja, fornecedores, concorrentes, acionistas, clientes e a sociedade em geral. E para a sobrevivência em um ambiente complexo e competitivo, é fundamental que o capital humano seja um diferencial.

“A preocupação com retenção de talentos é latente, pois o desenvolvimento de novos produtos ou serviços, bem como melhorias nos processos organizacionais já existentes são o que garantem a longevidade organizacional. Porém, os avanços, as criações não podem ocorrer a qualquer custo. É preciso que se discuta assuntos como ética e moral e a influência deles no comportamento das organizações”, disse.