Fundação orienta quem pretende doar sangue em São Paulo

Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil

Quem pretende doar sangue em agosto e ainda precisa tomar a vacina contra o sarampo deve escolher primeiro a doação. É que o protocolo de triagem dos candidatos determina que aqueles que forem vacinados contra o sarampo devem aguardar 28 dias para que estejam novamente aptos a doar. Agosto, por fazer parte do inverno, é um dos meses do ano em que a quantidade de doações cai. A Fundação Pró-Sangue é uma instituição pública ligada à Secretaria da Saúde do Governo do Estado de São Paulo e ao Hospital das Clínicas.

Segundo informações da Pró-Sangue, desde que o governo de São Paulo iniciou a campanha de vacinação contra a doença, os hemocentros estão registrando aumento de recusa dos candidatos por esse motivo, o que se reflete no estoque, que está com 40% do volume necessário para abastecer 100 instituições de saúde da rede pública. Os tipos sanguíneos mais críticos, sem condições de abastecimento são O-, A+ e A-. Os tipos o+ e B- garantem o abastecimento por um dia.  

A médica responsável pelo setor de triagem de doadores e coleta de sangue da Pró-Sangue, Sandra Camargo Montebello, explicou hoje (9) que os 28 dias de intervalo entre a vacinação e a próxima doação são necessários porque a vacina é feita com vírus vivos atenuados, o que significa que o receptor do sangue pode ficar doente por receber algum resquício dos vírus.

"Há um grupo de pessoas que não pode tomar a vacina e nem receber esses vírus por meio de transfusão. Mulheres grávidas e pessoas imuno comprometidas que tenham alguma doença que cause imuno supressão não podem receber esse sangue. O sangue da pessoa recém vacinada pode causar problemas para esses indivíduos, ou seja, causar infecção, desenvolver a doença. Mulher grávida pode ter problemas com o feto", disse.

Total de doadores vem caindo

Sandra afirmou, ainda, que a redução do número de doadores vem ocorrendo desde o início de 2019. "Este ano não tivemos um mês com o número adequado de candidatos. Ficou sempre abaixo da meta que nos propusemos a colher para atender todos os hospitais que abastecemos. Mas pesquisamos os motivos de recusa dos candidatos e, em julho, em primeiro lugar ficou a anemia e, em segundo a vacina, que normalmente fica lá atrás", justificou.

A meta de coleta de sangue mensal é de 11.200 coletas e o número tem ficado em torno de 9.500. Para doar sangue basta estar em boas condições de saúde e alimentado, ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg e levar documento de identidade original com foto recente, que permita a identificação. É preciso, ainda, evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e, no caso de bebidas alcoólicas, 12 horas antes.

Se a pessoa estiver com gripe ou resfriado, não deve doar temporariamente. Mesmo que tenha se recuperado, deve aguardar uma semana para que esteja novamente apta à doação. Outros impedimentos poderão ser identificados durante a entrevista de triagem, no dia da doação.

Para mais informações basta acessar o site da Pró-Sangue.  

Saiba mais na TV Brasil: Ações buscam interromper transmissão do sarampo no país