Fundação Roberto Marinho busca reforçar papel na pandemia e apresenta novo posicionamento de marca

Bruno Rosa
·4 minuto de leitura

RIO - Os desafios da área de educação antecipados pela pandemia do coronavírus e o foco em economia criativa levaram a Fundação Roberto Marinho a reforçar seu papel no desenvolvimento educacional do país. Esse movimento vem acompanhado do lançamento do novo posicionamento de sua marca, que foi apresentado na manhã desta terça-feira em um evento virtual. No encontro, José Roberto Marinho, presidente da Fundação Roberto Marinho, disse que a Fundação terá um papel fundamental na recuperação da educação, seriamente afetada pela pandemia do coronavírus.

Ele celebrou iniciativas como o Telecurso, projeto que tem como foco ensinar as disciplinas dos ensinos fundamental e médio e que ajudou a formar milhares de pessoas no Brasil nas últimas décadas. Agora, antecipou, a Fundação vai produzir um Telecurso da economia criativa.- A ideia da Fundação foi fazer um centro de excelência na educação para alcançar mais pessoas e com isso fomos construindo nossa história. O Telecurso é a espinha dorsal da Fundação. Agora, com essa crise, os números estão chegando e as pesquisas apontam dados ruins. E a Fundação vai ter um papel importante nessa retomada - disse Marinho.Mônica Pinto, gerente de Desenvolvimento Institucional da Fundação Roberto Marinho, destacou que o novo posicionamento nasceu com o objetivo de fazer uma evolução da identidade visual em meio aos novos desafios do setor de educação.

Segundo ela, a nova marca reflete a importância na busca por parcerias como forma de melhorar o ambiente de educação no Brasil. Por isso, o novo desenho da Fundação foi inspirado em elementos gráficos como linhas e tramas que remetem à ideia das conexões criadas entre educadores, famílias e comunidades.

- Apesar de a educação ter avançado muito, muitas crianças e jovens não terminam a educação básica. É preciso radicalizar a forma de atuação em parceria. É estabelecer alianças estratégicas para mobilizar a sociedade e entregar o que os jovens têm direito. Temos que ser mais ágeis. Não podemos deixar ninguém para trás. Não adianta criar soluções que não vão ajudar professores e alunos. Precisamos mudar o tempo todo. A nova marca tem a ver com a visão de uma educação para todos..

Mudança em logomarcaCom o mote “Despertamos futuros”, a campanha entra no ar na TV Globo e em diversos canais amanhã, quando é comemorado o dia da Educação. A nova logomarca ganhou ainda cantos arredondados e muitas cores com o objetivo de trazer mais modernidade, energia e flexibilidade. - A nova marca buscou inspiração em elementos bem brasileiros, como as tramas das redes, dos azulejos e das telhas. Isso tudo tem a ver com esse movimento de comunidade. Não queremos estar sozinhos. Além disso, as pessoas que fazem parte dessas redes têm suas próprias trajetórias e equipamentos, desde lápis e até celular.Ela ainda ressaltou a importância das políticas intersetoriais como forma de permitir uma transformação social no Brasil.- Só vamos conseguir que os jovens concluam sua escolaridade e tenham acesso ao mercado de trabalho com as políticas intersetoriais, envolvendo ciência social, saúde e trabalho. Assim, esse jovem vai concluir sua educação, ter mais longevidade e melhor qualidade de vida. Só assim vamos ter uma cultura com menos violência e mais segurança.Segundo Wilson Risolia, secretário geral da Fundação Roberto Marinho, disse que foram meses de estudos e conversas internas para definir a mensagem a ser transmitida pela nova marca. - Foi um trabalho muito cuidadoso e sensível, porque a identidade visual da Fundação faz parte da sua história. A nova marca conecta a Fundação Roberto Marinho à contemporaneidade, ao mesmo tempo em que respeita a solidez de sua trajetória. Ela imprime o dinamismo que define a Fundação, que atua de forma colaborativa e inovadora para responder aos cenários mais desafiadores com agilidade e efetividade - explica Risolia.Comercial estreia amanhãO novo posicionamento da Fundação ganhou um comercial que conta com as vozes dos atores Camila Pitanga e Lázaro Ramos. No filme, a dupla convida o público a embarcar no desafio da educação para despertar o futuro. A trilha sonora do filme foi composta com a colaboração de Jorge Junior, Samuel Silva e Gabriel Pereira, três jovens da comunidade da Grota, em Niterói, no Rio, que fazem parte do grupo “Batida Clássica”. A campanha também será veiculada no Canal Futura, GloboNews, GNT, Multishow, Viva, SporTV, Bis e Canal OFF, além de marcar presença na Globo.com.-A marca busca traduzir o olhar da Fundação Roberto Marinho para a escuta, o diálogo e a convicção no poder de transformação da educação, suportada pelo coletivo, foram os elementos que permearam a criação de referências da nova marca. De uma forma simbólica, a campanha estimula esse despertar e mostra quantas possibilidades nascem ao abrir mentes e corações para o outro e para o mundo, refletindo a força e a credibilidade da Fundação - explicou Manuel Falcão, diretor de Marca e Comunicação da Globo.

Hoje, a Fundação atua em seis frentes: distribuição multiplataforma de conteúdo de educação e cultura; formação de professores e apoio às redes de ensino; serviços educacionais; novas metodologias e produtos; produção de evidências para políticas públicas e projetos sociais. São iniciativas como as mais de 1.500 videoaulas de Ensino Fundamental e Médio disponibilizadas gratuitamente no YouTube do Canal Futura; e a nova faixa de conteúdo infantil, segmentada por idades e por área do conhecimento, exibida pelo Futura na TV e nas plataformas Canais Globo e Globoplay.