Fundação Casas Bahia vai ajudar 3 mil jovens a criar startups

Redação Finanças
·2 minuto de leitura
Group of young multiracial business people are working in modern office. Freelancers in coworking place. Creative and stylish youth.
Com ação, Fundação Casas Bahia e ONG esperam ajudar a criar 600 startups
  • Ação da Fundação Casas Bahia e da ONG Junior Achievement vai estimular cerca de três mil jovens a criar startup

  • Projeto é chamado de "Desafio Fundação Casas Bahia" e inscrições vão até 7 de maio

  • Podem participar estudantes de escolas públicas de 15 a 24 anos, ou que tenham concluído os estudos mas não conseguiram se inserir no mercado de trabalho

Cerca de três mil estudantes da rede pública de ensino, com idades que vão de 15 a 24 anos, terão mentorias e aulas por quatro meses para desenvolver as próprias startups no “Desafio Fundação Casas Bahia”. A ação é realizada pela Fundação Casas Bahia com a ONG Junior Achievement e as inscrições podem ser feitas até 7 de maio pelo site da fundação. As informações são da Exame.

Leia também:

Com a ação, que também beneficia jovens formados que não tiveram a oportunidade de entrar no mercado de trabalho, a organização espera ajudar a formar 600 startups. Desse total, 60 irão para a fase de avaliação, que selecionará três finalistas para participação do programa de aceleração do Distrito, hub de inovação aberta.

No fim dos quatro meses, os empreendimentos finalistas receberão prêmios de R$ 300 a R$ 1,5 mil por participante do grupo, dependendo da classificação.

Aulas e mentorias

Durante o projeto, quem for selecionado para a “Trilha da Inovação” terá aulas online sobre nova economia e futuro do trabalho. Primeiro, vão aprender como preparar um currículo, a participar de uma entrevista e sobre habilidades de comportamento. Depois, o aprendizado é sobre o que é uma startup, como elas solucionam problemas reais e o que é uma boa ideia para abrir uma.

Serão aulas conceituais e práticas, com mentoria de voluntários em que “a ideia é aprender fazendo”, segundo Natalia Menezes, gerente de investimento social da Via Varejo. “Acreditamos que essas três startups que irão se destacar serão capazes de conseguir atingir bons resultados no mercado e talvez, num futuro próximo, receber investimentos de gigantes do setor, e até mesmo da Via Varejo.”