Fundador da Shopee promete ficar sem salário até situação da empresa melhorar

Recentemente, empresa também anunciou o encerramento de suas operações em quatro países e desistiu de contratar dezenas de novos funcionários (Photo by Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)
Recentemente, empresa também anunciou o encerramento de suas operações em quatro países e desistiu de contratar dezenas de novos funcionários (Photo by Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)
  • Shopee: Forrest Li garantiu que ficará sem salário até crise da empresa estar sob controle;

  • No início deste mês, a Shopee desistiu de contratar dezenas de novos funcionários;

  • Recentemente, empresa também anunciou o encerramento de suas operações em quatro países: Chile, Colômbia, Argentina e México.

O fundador da Shopee, Forrest Li, afirmou em comunicado interno da empresa que vai ficar sem salário até a situação crítica passar. As informações são da Bloomberg. De acordo com o relatório fiscal, a empresa registrou um prejuízo de US$ 931,2 milhões, o equivalente a R$ 4,8 bilhões, no segundo trimestre de 2022.

No início deste mês, a Shopee desistiu de contratar dezenas de novos funcionários. De acordo com a Reuters, a empresa decidiu não aumentar o time de colaboradores repentinamente.

Segundo o portal Tecmundo, nesta segunda-feira (19), "a empresa informou seus funcionários sobre demissões nos departamentos de RH, marketing e engenharia, além de 3% dos cargos na Indonésia. Até o momento, não há confirmação do número de cargos cortados, mas a Shopee garantiu que todos os afetados serão indenizados conforme as leis trabalhistas de cada setor".

A agência diz que ouviu relatos de quatro informantes que participaram de um grupo no WeChat de cerca de 60 pessoas que foi criado para discutir o fechamento das vagas da Shopee. As fontes dizem que esse movimento acontece após a controladora relatar prejuízos crescentes e crescimento de receita acentuadamente mais lento.

Depois de suspender a contratação de novos colaboradores, a Shopee anunciou o encerramento de suas operações em quatro países: Chile, Colômbia, Argentina e México. No caso de Chile, Colômbia e México, haverá ao menos atendimento internacional. Na Argentina, o atendimento foi integralmente encerrado.

A Sea, controladora da companhia, já comunicou aos funcionários dos quatro países sobre o fim das atividades. Em e-mail aos colaboradores, o presidente da Shopee, Chris Feng, afirmou que a medida era necessária para “focar recursos nas operações principais”.