Fundo Amazônia será reiniciado no início do próximo ano, diz ministro norueguês

Ministro do Clima e do Meio Ambiente da Noruega, Espen Barth Eide, em Oslo

SHARM EL-SHEIKH, Egito (Reuters) - O Fundo Amazônia, apoiado pela Noruega e criado para auxiliar na proteção da floresta amazônica, será reiniciado "muito em breve após 1º de janeiro", disse o ministro do Meio Ambiente da Noruega, Espen Barth Eide, à Reuters nesta quinta-feira.

O fundo, que contém 542 milhões de dólares para proteção da floresta tropical, foi congelado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Eide disse que a ajuda deve ser retomada logo após o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva assumir o cargo, o que acontecerá em 1º de janeiro de 2023.

Eide se encontrou com Lula na manhã desta quinta-feira durante a cúpula climática da Organização das Nações Unidas (ONU) COP27, realizada no Egito.

A Noruega é o maior doador para o fundo.

(Reportagem de Gloria Dickie)