Fundo Garantidor de Crédito lança aplicativo para facilitar resgates em casos de calote

Patricia Valle
·2 minuto de leitura
Foto: Até hoje, se o investidor sofresse calote do banco teria que ir a uma agência bancária indicada pelo FGC para assinar o termo físico de recebimento dos valores.
Foto: Até hoje, se o investidor sofresse calote do banco teria que ir a uma agência bancária indicada pelo FGC para assinar o termo físico de recebimento dos valores.

O Fundo Garantidor de Créditos (FGC) entidade privada e sem fins lucrativos, que administra o mecanismo de proteção aos depositantes e investidores de instituições financeiras a ele associadas, lançou um aplicativo para simplificar um eventual resgate do fundo, devido em casos de não pagamento da instituição financeira, que já pode ser baixado no sistema Android e iOS .

O FGC foi criado para dar segurança ao sistema financeiro e proteger os investidores em caso de calote do banco credor em aplicações bancárias como o CDB. O fundo garante até R$ 250 mil por conta, CPF ou CNPJ no valor de até R$ 1 milhão a cada quatro anos, na hipótese de um mesmo cliente possuir valores garantidos pelo FGC em mais de uma instituição financeira que passe pela decretação de regime especial no período.

Até hoje, se o investidor sofresse calote do banco teria que ir a uma agência bancária indicada pelo FGC para assinar o termo físico de recebimento dos valores. Agora essa assinatura passa a ser digital, por meio do aplicativo.

De acordo com Daniel Lima, diretor executivo do FGC, a assinatura desse termo é fundamental para que o FGC possa buscar ressarcimento dos valores pagos como garantia junto às instituições em liquidação:

“Com o aplicativo, a assinatura do termo passará a ser eletrônica, preservando a segurança do processo, ao mesmo tempo em que aumenta a comodidade para o beneficiário, que não mais precisará ir até uma agência bancária”, diz.

Durante o mês de outubro, o FGC implementou um teste piloto do aplicativo com alguns beneficiários das garantias da Dacasa Financeira – liquidada pelo Banco Central em fevereiro deste ano –, que não compareceram até o prazo final de pagamento nas agências, encerrado em 22 de setembro. Concluído o período de testes, agora o FGC liberou o aplicativo para o pagamento dos demais beneficiários da Dacasa Financeira que ainda não solicitaram os valores aos quais que têm direito.

“O aplicativo é resultado da constante dedicação do FGC em simplificar o processo e reduzir o prazo de pagamento de garantias aos beneficiários. Esperamos que com o aplicativo, e a entrada em vigor de aprimoramentos regulatórios, o prazo para o início do pagamento das garantias diminua de algumas semanas para alguns dias”, afirma o Daniel Lima.

Nesta primeira versão, o aplicativo é exclusivo para clientes pessoas físicas que possuem depósitos ou investimentos em instituições liquidadas ou sob intervenção do Banco Central e que contam com cobertura do FGC. Para os próximos meses, novas funcionalidades serão adicionadas ao aplicativo.