Futura ministra do Esporte, Ana Moser homenageia Pelé: 'Sinônimo de Brasil'

A futura ministra dos Esportes, Ana Moser, prestou homenagens ao ex-jogador de futebol Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, morto nesta quinta-feira aos 82 anos por complicações de um câncer no cólon.

— O Pelé é sinônimo de Brasil, é muito maior do que o futebol. É a condição de qualidade, de produzir o nível de jogo que ele foi capaz, e assim representar a condição de um povo. É um reinado de décadas —afirmou Moser, que foi confirmada hoje como ministra dos Esportes pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva.

— Ele é um monumento. O seu legado é eterno. Ele se vai agora, depois de uma vida tão longa e tão importante — acrescentou.

Outros integrantes do novo governo também se pronunciaram sobre a morte de Pelé, como o vice-presidente Geraldo Alckmin e o futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

— Nosso carinho, nossas orações ao querido Pelé, campeão do mundo, um atleta completo, nosso carinho, sentimento, orações e sentimento aos familiares e fãs — afirmou Alckmin.

"Colossal Pelé, obrigado", escreveu Haddad no Twitter.

Pelé estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, desde o dia 29 de novembro e, nos últimos dias, não respondia ao tratamento de quimioterapia. Estava sob cuidados paliativos, recebendo medidas de conforto, para aliviar a dor. Também precisou de cuidados relacionados às disfunções renal e cardíaca. Ele estava na companhia de seus filhos e netos em um quarto.

Identificado inicialmente no cólon (uma parte do intestino grosso), o câncer com o tempo se espalhou pelo organismo e chegou ao fígado e pulmão. Os rins e o coração também já estavam com o funcionamento afetado.