Fux aprova grupo de trabalho para auxiliar buscas por desaparecidos no AM

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, disse no início da noite desta terça-feira (14) que um grupo de trabalho foi criado para supervisionar e auxiliar as buscas pelo indigenista Bruno Araújo Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips, desaparecidos desde 5 de junho no Amazonas.

O anúncio confirmou que fazem parte do grupo o ator Wagner Moura, o fotógrafo Sebastião Salgado, a antropóloga Manuela Carneiro da Cunha e a Juíza Auxiliar da Presidência do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), Livia Cristina Marques Peres.

Eles poderão também propor medidas para aprimorar "a atuação do Poder Judiciário nas questões relacionadas". Fux destacou, além do impacto internacional do caso, que a situação dos desaparecidos envolve outras questões sensíveis, como "a preservação dos direitos fundamentais à identidade, cultura e tradição ancestral de povos indígenas isolados".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos