Gávea, Maracanã e Maracanãzinho são disponibilizados pelo Flamengo no combate a Covid-19

Marcello Neves

Na guerra contra a pandemia do novo coronavírus, o Flamengo tomou uma atitude. Neste sábado, o rubro-negro informou que o Maracanã, os ginásios da Gávea e o Maracanãzinho estão a disposição do Governo do Estado do Rio de Janeiro e à Prefeitura para viraram hospitais no combate a Covid-19.

— O Clube de Regatas do Flamengo informa que colocou à disposição do Governo do Estado do Rio de Janeiro e da Prefeitura o Ginásio Hélio Maurício (por conta da proximidade ao Hospital Miguel Couto), na Gávea, para o combate ao coronavírus. O Clube também está à disposição para ajudar em qualquer ação projetada para o complexo Maracanã/Maracanãzinho, pertencente ao Estado e hoje administrado por Flamengo e Fluminense — informou o clube.

O Flamengo é o segundo clube no Rio de Janeiro — e o 17º no Brasil — a ceder as suas instalações para o combate à pandemia. Antes dele, o Botafogo havia oferecido o Estádio Nilton Santos aos órgãos de saúde.

O Ginásio Hélio Maurício, na Gávea, é um ponto estratégico devido a proximidade ao Hospital Miguel Couto, que fica próximo da sede do clube. Já o Maracanã e o Maracanãzinho estão com quadro de funcionários reduzidos devido as orientações do Ministério da Saúde. Desde o início desta semana, todas as atividades estão paralisadas no Flamengo.