Gênio iraniana da matemática Maryam Mirzakhani morre aos 40 anos

(Arquivo) A professora e versada em matemática Maryam Mirzakhani

Maryam Mirzakhani, uma matemática de origem iraniana que foi a primeira mulher a ganhar a Fields Medal, morreu aos 40 anos em um hospital americano, em função de um câncer.

Segundo a imprensa iraniana, Mirzakhani morreu depois que o câncer que combateu por quatro anos se estendeu à medula óssea.

O ex-diretor de Exploração de Sistemas Solares da Nasa e amigo de Mirzakhani, Firouz Naderi, anunciou sua morte no Instagram, e seus familiares confirmaram o falecimento à agência Mehr, no Irã.

"Maryam partiu muito cedo, mas sua influência permanecerá viva por intermédio de milhões de mulheres, às quais inspirou a seguirem o caminho da Matemática e da Ciência", afirmou Marc Tessier-Lavigne, presidente da Universidade de Stanford, onde a cientista dava aulas desde 2008.

No Irã, o presidente Hassan Rohani lamentou seu "triste falecimento", saudando "o gênio inédito dessa criativa cientista" e sua modéstia, de acordo com o site em inglês da emissora iraniana PressTV.

Ainda segundo o presidente, Mirzakhani "fez ressoar o nome do Irã nos círculos científicos do mundo inteiro e representou um marco, ao mostrar que as mulheres iranianas e os jovens querem alcançar o auge da glória".

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohamad Javad Zarif, apresentou suas condolências no Instagram e disse que os iranianos estão em luto por sua morte.

"Uma luz se apagou hoje. Me dói o coração (...) se foi muito rápido", escreveu o amigo Naderi.

"Gênio? Sim. Mas também filha, mãe e esposa", acrescentou em outra mensagem, junto com uma foto em preto e branco de Mirzakhani, de cabelos curtos e olhar decidido.

Em 2014, Mirzakhani ganhou a Fields Medal, equivalente ao Nobel da Matemática, entregue pelo Congresso Internacional de Matemáticos. Essa especialista na geometria de formas incomuns havia descoberto novas maneiras de calcular os volumes de objetos com superfícies hiperbólicas, como a sela de montar cavalo.

"Apesar da natureza sumamente teórica de seu trabalho, tem aplicações em Física, Mecânica Quântica e em outras disciplinas fora da Matemática", destacou o jornal "Stanford News", da universidade homônima, situada na Califórnia, nos EUA.

Mirzakhani nasceu e cresceu em Teerã e estudou Matemática na Universidade Tecnológica de Sharif, que fica na capital, antes de obter seu Doutorado em Harvard, em 2004.

Em 2009, foi agraciada com o Prêmio Blumenthal sobre pesquisa em Matemática Pura e, em 2013, com o Prêmio Satter, da Sociedade Matemática Americana.

Ficou conhecida no cenário internacional da Matemática ainda adolescente, ao ganhar medalhas de ouro nas Olimpíadas Internacionais da Matemática em 1994 e em 1995.

Ela deixa marido e uma filha.