Maioria do G20 "condena veementemente a guerra na Ucrânia"

A maioria dos membros do G20 "condenou veementemente a guerra na Ucrânia" e destacou as devastadoras consequências humanas e económicas globais do conflito. A informação consta da declaração conjunta divulgada esta quinta-feira no final da cimeira de Bali.

No encontro das 20 maiores economias do mundo reconheceu-se também que o G20 não é o fórum mais apropriado para resolver questões de segurança.

Antes de sair da Indonésia, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov descreveu o que na altura era um rascunho da declaração como sendo "politizado" pelos aliados ocidentais da Ucrânia.

Entretanto, a explosão de um míssil na Polónia desviou a atenção dos líderes do G20. O último dia do encontro foi mesmo interrompido por uma reunião de emergência para debater a situação.

Os membros do G20 discutiram também uma série de questões, desde inflação violenta, insegurança alimentar e fome até as consequências das mudanças climáticas, mas sempre com a guerra na Ucrânia e a ameaça de uma escalada nuclear como pano de fundo.