Gabi Melim revela pânico na quarentena e terapia à distância: ‘A gente capta a energia do mundo’

Isabella Cardoso
1 / 4

Gabi-Melim

Gabi Melim: “good vibes” não resistiu à pandemia e ao distanciamento social

Na quarentena, nem tudo são flores. Até quem curte a onda “good vibes” pode ser afetado pelas mudanças que o distanciamento social provoca. Gabi, da banda Melim, conta que chegou a ter crises de pânico e ansiedade, pela primeira vez, no início da pandemia.

 

— Eu sou muito sensível e, de alguma maneira, é um momento em que a gente capta a energia do mundo. Tive alguns picos por estar vivendo uma ansiedade forte sobre o amanhã e o que vai acontecer — confessa Gabi, que começou a fazer terapia a distância: — Cheguei a fazer quando era mais nova, depois parei. Tem sido muito bom, estou fazendo duas vezes por semana. Agradeço por poder investir nisso.

 

Ela e Diogo, um dos gêmeos que compõem o trio, moram juntos e são adeptos da meditação:

— Na internet, tem várias meditações guiadas. Não precisa ser um grande guru para você meditar. Diogo gosta muito também. Às vezes, quando acordo, vejo ele meditando com o fone de ouvido. Temos que buscar refúgio para manter o equilíbrio.

 

Além da meditação, Diogo gosta de se exercitar:

— Tiro um tempinho do meu dia e vou na casa do Rod, que é no mesmo prédio que o meu, para fazer exercícios. Também já separei uns livros que quero ler.

Até quem não é de se apaixonar de primeira certamente já ouviu falar da banda Melim. Com seu álbum de estreia, Gabi, Diogo e Rodrigo ficaram quase um ano com suas músicas entre as mais tocadas no Brasil nas principais plataformas de streaming. Atualmente, eles acumulam cinco milhões de inscritos em seu canal no YouTube. Após dois anos nas estradas e fazendo, em média, 20 shows por mês, o trio de irmãos lançou, nesta sexta-feira (dia 15), a primeira parte de “Eu feat. você’’, que conta com oito canções 100% autorais. A segunda deve ser apresentada ao público no segundo semestre.

— Queríamos manter a nossa essência de falar sobre coisas boas, amor e positividade, mas também sobre o momento que vivemos como banda. Amadurecemos nesses dois anos em que nos dedicamos 100% à música — avalia Gabi.

 

As letras das oito composições foram escritas em quartos de hotel, na estrada e em casa, nas folgas em que Gabi, Diogo e Rodrigo uniram os seus corações e colocaram os seus sentimentos no papel. Para transformar tudo em álbum, o trio partiu para Los Angeles (EUA) e gravou no Capitol Records Studios, em Hollywood, por onde já passaram nomes como Frank Sinatra, Beatles e Queen. Lá também foi feito um documentário sobre o novo trabalho e o clipe do primeiro single, “Eu feat. você”, que dá nome ao álbum .

— Essa é a minha música preferida. Lembro que, na época em que a gente estava escrevendo, essa era uma canção que, automaticamente, me fazia sentir que coisas muito boas ainda estavam por vir. Foi algo a que eu me agarrei por um tempo — relata Diogo.

 

Além do primeiro single, outra faixa é especial para Diogo. “Cabelo de anjo”, o “feat.” (participação) com Lulu Santos, é uma homenagem à sua filha Melissa, que tem apenas 3 aninhos.

— “Cabelo de anjo’’ é doce e importante para mim, principalmente pelo lado pessoal. E o fato de Lulu ter participado com a gente é interessante, porque ele é de uma outra geração, apesar de estar muito presente e atual — reflete Diogo.

 

Mais do que sucesso, para os três irmãos o que importa é que o lançamento cumpra o propósito de transmitir bons sentimentos ao público que curte o trabalho deles.

— As pessoas se identificam com o nosso som porque não diz tanto sobre nós, diz mais sobre elas, que estão sempre buscando falar de amor e de coisas boas — conclui Gabi.