Gabigol brinca com marca de cerveja barrada nos estádios da Copa: 'eu te entendo'

Ao que tudo indica, Gabigol ainda não superou o fato de ter ficado de fora da lista de Tite na Copa do Mundo do Catar. Depois de fazer coro ao canto dos rubro-negros de que "não precisaria" do técnico da seleção brasileira, o novo camisa 10 do Flamengo brincou com a marca de cerveja que patrocina o Mundial com o fato de, assim como a bebida alcóolica, ter ficado de fora da competição.

Entenda o caso: por que o Catar é tão duro com consumo de bebida alcoólica?

— Eu te entendo — escreveu Gabigol.

Proibição de cervejas na Copa do Mundo

Depois de muita pressão do governo do Catar, a Fifa anunciou que bebidas alcoólicas não serão vendidas nos perímetros dos estádios da Copa do Mundo. As vendas só serão permitidas nas áreas do FIFA Fan Festival e em outros locais voltados para torcedores – além de suítes de luxo reservadas para dirigentes da entidade e outros convidados ricos.

Leia também: Água a R$ 30? Preços assustam torcedores que chegam ao Catar; valores variam

O pedido de proibição da venda teria partido do sheik Jassim bin Hamad bin Khalifa al-Thani – irmão do emir governante do país-sede e a realeza mais ativa no planejamento do torneio – e conversa diretamente com a cultura, os costumes e a política do país.

Professora de História Árabe do Departamento de Letras Orientais da Universidade de São Paulo (USP), a historiadora Arlene Clemesha explica que o consumo de bebida alcoólica não é proibido pela religião islâmica, mas desaconselhado pelo Corão, livro sagrado dos muçulmanos.

Tabela da Copa: Datas, horários e grupos do Mundial do Catar

– O consumo de bebida alcoólica de qualquer natureza, historicamente falando, sempre foi um assunto polêmico. O Corão diz que não é recomendável o consumo de qualquer substância entorpecente, incluindo o álcool, em conjunto com a reza (a Salat, cinco orações feitas ao longo do dia). E o muçulmano mais conservador não bebe e não vê a bebida com bons olhos.

Mesmo assim, o Catar não proíbe o consumo de bebidas, que são vendidas em bares, restaurantes e hotéis autorizados. Em público, no entanto, o consumo não é permitido.