Gabigol, do Flamengo, é flagrado pela polícia de SP em evento com mais de 200 pessoas em cassino clandestino

O Globo
·1 minuto de leitura

RIO - O atacante Gabigol, do Flamengo, foi flagrado em um cassino clandestino na madrugada deste domingo, na Vila Olímpia, na Zona Sl de São Paulo. O local foi alvo de uma operação de uma força-tarefa do estado contra aglomerações durante a pandemia de Covid-19. Cerca de 200 pessoas estavam no local, incluíndo o cantor de Funk, MC Gui.

Em entrevista à GloboNews, Eduardo Brotero, delegado de polícia e e supervisor do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos explicou que a ação visava combater aglomerações clandestinas, mas encontraram um cassino clandestino.

À polícia, denunciantes informaram que o local funcionava há algum tempo e que foram gastos mais de 8 milhões com as instalações de luxo.Muitos dos que estavam no cassino não usavam máscara, ou vestiam de forma errada.

- Chegando no local, pra nossa surpresa, não se tratava de uma festa clandestina, e sim de um cassino clandestino. Na verdade bastante grande. Com diversas pessoas aglomeradas, se expondo ao contágio novamente - explicou.

Gabigol e MC Gui, além de outros envolvidos, foram encaminhados para prestar esclarecimentos na Delegacia de Crime contra a Saúde Pública, no Centro de São Paulo. Elas assinaram termo circunstanciado, comprometendo-se a prestar esclarecimentos depois, e foram liberados.

A capital paulista está na fase vermelha do Plano São Paulo, uma das mais rigorosas no plano de flexibilização do isolamento social. Festas e aglomerações estão proibidas em todo o estado e fase vai até 30 de março. Jogos de azar também configuram contravenção.

Os funcionários e o responsável pelo local devem responder por crime contra a saúde pública e jogo de azar, contravenção.