'Gabigol já está entre os maiores da história do Flamengo', diz pesquisador do futebol carioca

·1 min de leitura

Antes, ele era Gabriel Barbosa, jogador com passagem pelo Santos e pela Inter de Milão, da Itália. Mas com a chegada ao Flamengo, em 23 de janeiro de 2019, passou a ser conhecido no Brasil inteiro como Gabigol e se tornou ídolo da torcida. Nesta quinta-feira, na vitória de 3 a 0 em cima do Bahia, reafirmou o apelido ao quebrar mais uma marca no rubro-negro: a de 100 gols marcados pelo clube.

— Com certeza, ele já está entre os maiores jogadores da história do Flamengo, mesmo com número de gols e jogos inferiores a muitos outros — pontua o jornalista e pesquisador Roberto Assaf, autor do "Almanaque do Flamengo": — Os dois gols dele contra o River, na final da Libertadores em 2019, vão deixá-lo para sempre na história do clube. É algo que não tem como esquecer mais.

Para Assaf, Gabigol não vai parar por aí:

— Tenho a impressão de que ele está focado. Acho que ele tem essa consciência de continuar batendo recorde, quer continuar jogando e ganhando. E não adianta só ganhar, tem que ter motivos que justifiquem sua condição de ídolo e presença.

O camisa 9 é o artilheiro do clube na temporada: em 39 jogos, marcou 30 gols. O de número 100 acontece na partida de número 142 pelo rubro-negro, na cobrança de um pênalti.

— Ele chegou ao Flamengo em um momento, no começo de 2019, que o clube estava em baixa, em recuperação financeira, contratando jogadores importantes, mas não ganhava, não tinha título. Com a presença dele e a formação dessa equipe, que começa ali na Florida Cup, o Flamengo passar ganhar muitos títulos. Ele, Arrascaeta e Bruno Henrique, para mim, são as três grandes figuras deste atual time.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos