Gabigol ou Pedro? Astros vivem bom momento antes de convocação. Flamengo estima perder quatro atletas

·2 minuto de leitura

Há dois anos, toda convocação da seleção é um dia feliz para alguns jogadores do Flamengo, mas a torcida rubro-negra fica na bronca. Hoje, o técnico Tite tem boas chances de chamar ao menos um dos principais artilheiros da equipe carioca: Pedro e Gabigol se alternam com belas exibições na temporada, entre Libertadores e Campeonato Estadual, e se credenciam para voltar à lista.

A última convocação de Gabigol foi em 5 de março de 2020. De lá para cá, são 30 gols e 11 assistências em 46 jogos. Média de 0,65 por jogo. As 41 participações em 3523 minutos em campo o fazem contabilizar uma a cada 85 minutos no período, ou 0,89 por jogo.

Já Pedro foi chamado em novembro, se machucou, e quando voltou ao clube alcançou 10 gols e quatro assistências em 26 jogos. Destes, apenas nove como titular. São 14 participações diretas em 1023 minutos em campo. Ou seja, Pedro precisa de 73 minutos para marcar um gol ou servir a um companheiro. Na média por jogo, tem 0,53 gol.

Com dois jogos das Eliminatórias para a Copa de 2022 marcados em junho, os jogadores convocados se ausentarão dos dias 1 a 9 e desfalcariam o Flamengo no jogo de ida da Copa do Brasil, contra o Coritiba, na partida diante do Grêmio, no Rio Grande do Sul, pelo Brasileirão, e dependeriam de uma logística particular para participarem do embate decisivo do torneio de mata-mata.

Quatro baixas esperadas

O clube estima que vá perder ao menos dois brasileiros, além de Maurício Isla pelo Chile e De Arrascaeta pelo Uruguai. Há chance remota de Tite levar Rodrigo Caio e Gerson. Com isso, o Flamengo pode chegar a ter seis desfalques em junho.

“Sabemos que vai desequilibrar o campeonato, punir o Flamengo e favorecer outros clubes”, diz um dirigente que preferiu não se identificar.

O técnico Rogério Ceni comandou ontem o primeiro treino de olho no confronto com o Fluminense, pela primeira partida da final do Campeonato Carioca, amanhã.

A novidade foi a participação, sem limitações, do meia Gerson e do zagueiro Rodrigo Caio. Ambos se recuperaram de lesões musculares e estão à disposição do treinador.

O mesmo não deve acontecer com o goleiro Diego Alves, que já faz um trabalho físico no campo, mas não deve ser lançado ainda, após uma fibrose na coxa direita.

Michael e Renê ainda seguem tratamento e não enfrentam o Fluminense depois de problemas musculares parecidos. A relação para o clássico sai após o treino de hoje. Há chance de Ceni adotar um time misto, de olho no jogo com a LDU pela Libertadores, na próxima semana, no Maracanã. Hoje, a Prefeitura define se haverá público de 30% na partida de volta da final.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos