Gabriel Medina e Filipe Toledo deixam G-Land com críticas às notas dos juízes

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A etapa de G-Land, na Indonésia, terminou com o australiano Jack Robinson vencedor e os brasileiros muito insatisfeitos. O motivo: mais uma vez a arbitragem. Por sua subjetividade, a nota dos avaliadores sempre dá margem a críticas. E elas foram registradas.

Gabriel Medina, que fez sua etapa de estreia na temporada, usou suas redes sociais para manifestar indignação. O tricampeão do mundo foi derrotado por Robinson nas semifinais. Na última onda, o australiano conseguiu um 7.0 que o fez virar e vencer por uma diferença de 0.57. Após a disputa, o brasileiro postou um símbolo de palhaço como forma de contestar o resultado.

Antes dele, Filipinho já havia se queixado de forma ainda mais incisiva. E após uma bateria em que ele saiu vitorioso, o que não dá margem para ser acusado de mau perdedor.

Depois da vitória sobre o americano Griffin Colapinto, nas quartas de final, o líder da temporada questionou os critérios de avaliação dos juízes em entrevista para a WSL.

- Não sei mais o que fazer. Não sei o que está acontecendo, mas sigo tentando fazer o meu melhor. Mas aqui estamos de novo, semifinais com dois brasileiros - desabafou, antes de virar as costas e sair tirando a camisa de lycra amarela destinada ao líder.

Na grande final, Filipinho também foi derrotado por Robinson. E por uma diferença ainda mais apertada do que Medina: 0.34.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos