Gabriel Medina investe em clube de piscinas de ondas

Projeto de Gabriel Medina é o primeiro da Kauai Ventures, empresa criada por ele.
Projeto de Gabriel Medina é o primeiro da Kauai Ventures, empresa criada por ele. Foto: (Daniel Smorigo/World Surf League via Getty Images)

Recuperado da lesão que havia o tirado da segunda parte da temporada regular do Circuito Mundial de Surfe, tendo vencido, inclusive, a etapa de Saquarema, no Rio de Janeiro, do Challenger Series, segunda divisão do Circuito, o surfista Gabriel Medina movimentou as redes sociais no começo da tarde desta sexta-feira.

Um tweet misterioso foi publicado por Medina em seu perfil oficial na plataforma, informando que havia realizado mais um sonho em sua vida, mas sem revelar qual era: "Mais um sonho realizado".

O tricampeão mundial, então, explicou do que se tratava um minuto depois, com outro tweet, revelando que seria proprietário de uma piscina de ondas: "Nunca imaginei que teria uma piscina de onda... bora que vai começar".

Leia também:

Se trata do primeiro empreendimento da Kauai Ventures, gestora de startups criada por Gabriel ainda em junho. O ideal do negócio é que, além da própria piscina de ondas em si, sejam construídos imóveis para que a hospedagem no clube possa ser explorada também.

O modelo, que segue o formato da Surfland Brasil, localizada em Garopaba, Santa Catarina, a qual Gabriel Medina serviu como garoto propaganda, mas Ricardo Laureano, advogado que idealizou o empreendimento em solo catarinense, mas agora se tornou sócio de Medina na Kauai Ventures, explica que a tecnologia implementada é melhor: "Entendemos que nossa tecnologia é melhor. Ela prioriza a qualidade da onda e permite atrair desde quem nunca pegou onda até o Gabriel".

Quando e onde serão lançadas as piscinas?

A ideia dos sócios no negócio é que, ainda em 2023, dois clubes sejam inaugurados, um em São Paulo e outro no Rio de Janeiro. O planejamento, porém, de acordo com Laureano, é de que outras duas localidades recebam o empreendimento: "Para 2024, pensamos em Minas Gerais e Brasília". A expectativa de investimento em cada sede é de 25 milhões de dólares, cerca de R$ 133,5 milhões na cotação atual".