Gabriel Medina vence Filipe Toledo e é tricampeão mundial de surfe

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
meina.jpg
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Três anos após se tornar o primeiro brasileiro bicampeão mundial de surfe profissional, Gabriel Medina agora pode se orgulhar de ser o único tricampeão do país na história. O feito foi atingido nesta terça-feira, em Trestles, nos Estados Unidos, onde venceu o companheiro Filipe Toledo na bateria decisiva por 2 a 0 (16.30 a 15.33 e 17.53 a 16.36) e garantiu o título — repetindo os feitos de 2014 e 2018.

Medina estava a apenas duas baterias de ser tricampeão mundial. Líder do circuito, o brasileiro tinha vaga garantida na grande decisão do WSL Finals, a última etapa da temporada. Após sete etapas ao longo de 2020-21, o torneio reuniu os cinco primeiros do ranking. Na ocasião, teve que esperar as outras eliminatórias até conhecer — e vencer — Filipe Toledo, seu adversário na decisão.

A etapa chegou a ser interrompida por causa da presença de um tubarão. De acordo com a organização, o animal tinha cerca de 1,80m de comprimento. Durante a pausa toda a área de competição foi vasculhada para garantir que o animal já não está mais no local.

O tricampeonato permite que Gabriel Medina possa se sentar na mesma mesa em que outras três lendas do esporte: o australiano Mick Fanning, campeão em 2007, 2009 e 2013, o havaiano Andy Irons, vencedor em 2002, 2003 e 2004, e o norte-americano Tom Curren, que ficou com o título em 1985/86, 1986/87 e 1990.

Medina está a um título de igualar o australiano Mark Richards, o segundo maior vencedor do Circuito Mundial de surfe, que conquistou o tetracampeonato em 1979, 1980, 1981 e 1982. O maior vencedor da história é o norte-americano Kelly Slater, que tem 11 conquistas.

Medina também conquistou o título mundial em 2018 antes mesmo de vencer o Billabong Pipe Master, etapa havaiana do circuito mundial. Ainda durante a semifinal, o paulista superou o sul-africano Jordy Smith por 16.27 contra 15.83 pontos. Com isso, ele eliminou antecipadamente as chances do australiano Julian Wilson, segundo lugar no ranking, de ultrapassá-lo.

Natural da praia de Maresias, no litoral paulista, Medina venceu seu primeiro título mundial em 19 de dezembro de 2014, também no Havaí.

Confira todos os campeões mundiais:

2021: Gabriel Medina (Brasil)

2019: Italo Ferreira (Brasil) 2017: John John Florence (Havaí) 2016: John John Florence (Havaí) 2015: Adriano de Souza (Brasil) 2013: Mick Fanning (Austrália) 2012: Joel Parkinson (Austrália) 2011: Kelly Slater (EUA) 2010: Kelly Slater (EUA) 2009: Mick Fanning (Austrália) 2008: Kelly Slater (EUA) 2007: Mick Fanning (Austrália) 2006: Kelly Slater (EUA) 2005: Kelly Slater (EUA) 2004: Andy Irons (Havaí) 2003: Andy Irons (Havaí) 2002: Andy Irons (Havaí) 2001: CJ Hobgood (EUA) 2000: Sunny Garcia (Havaí) 1999: Mark Occhilupo (Austrália) 1998: Kelly Slater (EUA) 1997: Kelly Slater (EUA) 1996: Kelly Slater (EUA) 1995: Kelly Slater (EUA) 1994: Kelly Slater (EUA) 1993: Derek Ho (Havaí) 1992: Kelly Slater (EUA) 1991: Damien Hardman (Austrália) 1990: Tom Curren (EUA) 1989: Martin Potter (Reino Unido) 1988: Barton Lynch (Austrália) 1987: Damien Hardman (Austrália) 1986: Tom Curren (EUA) 1985: Tom Curren (EUA) 1984: Tom Carroll (Austrália) 1983: Tom Carroll (Austrália) 1982: Mark Richards (Austrália) 1981: Mark Richards (Austrália) 1980: Mark Richards (Austrália) 1979: Mark Richards (Austrália) 1978: Wayne Bartholomew (Austrália) 1977: Shaun Tomson (África do Sul) 1976: Peter Townend (Austrália)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos