Gabriel Monteiro: 'Deus tomou o mandato, glória a Deus por tudo'

Vereador Gabriel Monteiro (PL) é acusado de expor menores em situações sensíveis e as identificando nas redes sociais. (Foto: Divulgação/Câmara do Rio de Janeiro)
Vereador Gabriel Monteiro (PL) é acusado de expor menores em situações sensíveis e as identificando nas redes sociais. (Foto: Divulgação/Câmara do Rio de Janeiro)
  • O agora ex-vereador foi cassado por 48 votos a 2

  • Ele é investigado por estupro e outros crimes sexuais

  • Gabriel Monteiro é candidato a deputado federal

Depois que a Câmara de Vereadores do Rio decidiu cassar seu mandato nesta quinta-feira (18), o vereador Gabriel Monteiro (PL) comentou o caso nas ruas redes sociais. Ele é acusado de falta de decoro parlamentar, por conta do surgimento de diversas denúncias de estupro, exposição de crianças e veiculação de um vídeo íntimo com uma adolescente de 15 anos.

“Fui eleito e em menos de dois anos provei que função de vereador é fiscalizar e não ficar curtindo ar condicionado no gabinete. Deus me deu o mandato, Deus tomou o mandato, glória a Deus por tudo”, escreveu o ex-vereador no Twitter.

Candidato, ele também pediu votos na mesma postagem. Ele concorre a deputado federal, mesmo respondendo a processos criminais. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem até o dia 12 de setembro para julgar seu caso e decidir se ele poderá concorrer nas eleições.

Foram 48 votos favoráveis à cassação frente a 2 votos contrários - um do próprio vereador Gabriel Monteiro e de Chagas Bola (União Brasil). Dos 51 vereadores, eram necessários 34 votos para aprovar a cassação do mandato de Gabriel Monteiro, mas apenas 50 puderam votar, já que Carlos Bolsonaro, do Republicanos, está licenciado.

As acusações que pesam contra Gabriel Gabriel incluem o fato de expor menores em situações sensíveis e as identificando nas redes sociais, inclusive ter feito filmagens enquanto fazia sexo com uma adolescete de 15 anos. A mesma tese se aplica a um outro vídeo em que Gabriel orienta uma criança de doze anos sobre como proceder para a família receber doações em dinheiro.

Além disso, pesa contra o vereador a denúncia de agressões contra um morador de rua por parte de um segurança durante a produção de um vídeo na Lapa.