Gabriela Pugliese desativa perfil no Instagram após repercussão negativa de festa durante pandemia

O Globo
·2 minuto de leitura

Depois da enxurrada de críticas por ter feito uma festa no último sábado, contrariando as medidas de isolamento para conter a disseminação do coronavírus, e ter sido duramente criticada pela atitude, a influenciadora Gabriela Pugliesi fechou sua conta no Instagram temporariamente na última segunda-feira. Até a suspensão, ela tinha pouco mais de 4 milhões de seguidores.

Segundo a assessoria de imprensa da moça, ela "resolveu dar um tempo" das redes.

A irresponsável atitude da blogueira reverberou logo no bolso: na noite do último domingo, diversos parceiros comerciais da paulista cancelaram contratos. Uma das primeiras a se pronunciar sobre o caso foi a marca de roupas BAW Clothing. "Não apoiamos a atitude da Gabi e estamos suspendendo a parceria com ela", disse a marca nas redes sociais ao ser questionada por consumidores. A Liv-up, de alimentação saudável, também foi categórica: "Suspendemos todas as ações previstas e programadas com a influenciadora". O mesmo aconteceu com as pipocas Mais Pura: "Nos inteiramos de toda a situaçãoe e resolvemos suspender a parceria com a influenciadora"

Desinchá, Rappi e Hope, apesar de, nominalmente, não citarem a influenciadora, afirmaram também suspender atividades com pessoas que não estão alinhadas com as medidas de prevenção contra a Covid-19.

Segundo a revista "Veja", Pugliesi chega a ganhar R$ 200 mil, num bom mês, com parcerias publicitárias.

Entenda a polêmica

Uma das primeiras brasileiras famosas a se contaminar com a Covid-19 (durante o casamento da irmã, na Bahia, no início de março), Gabriela e o namorado, Erasmo Viana, resolveram desrespeitar a recomendação de isolamento social e fizeram uma festa, no sábado (25) em homenagem à ex-BBB Mari Gonzales na casa onde moram, em São Paulo.

Entre as convidadas da influenciadora, além de Mari e do namorado Jonas, estavam Barbara Brunca e Taty Betin, outras influenciadoras do universo fitness. Ignorando o momento difícil pelo qual passam milhares de pessoas no Brasil e no mundo, o grupo celebrou, brindou, bebeu e chegou a gritar "F*da-se a vida" em um dos stories posteriormente apagados.

Na manhã seguinte, Gabriela fez um vídeo pedindo desculpas.

"Ontem eu juntei meia duzia de amigos aqui em casa, a gente pediu comida, bebeu. Eu me passei, postei, falei besteira. Enfim, estou extremamente arrependida, estou mal comigo mesma. Fui irresponsável, imatura, e mais uma vez quero pedir desculpas. Errei porque não é para juntar gente em casa, porque tem gente passando dificuldade, porque é ofensivo, não ajuda ninguém nesse momento".

Nos comentários, tomou uma bronca de Tatá Werneck.

"Você vai me achar uma babaca depois desse comentário. Mas acho menos importante isso do que alertar as pessoas. Tão pedindo caminhão pros hospitais. Porque tá um caos. Minha prima médica (que pegou) chega chorando em casa. Porque eles já têm que escolher sem salvar. Você já teve. Está teoricamente 'imune'. Eu acho que essa atitude, ainda mais pra um monte de gente que te segue e se inspira na sua vida saudável foi inadmissível", disse a apresentadora.