Gal Costa havia falado sobre medo da morte em entrevista: "A vida é um milagre"; relembre

Gal Costa, um dos principais nomes da música popular brasileira, morreu na manhã desta quarta-feira (9), aos 77 anos. (Foto: Mauricio Santana/Getty Images)
Gal Costa, um dos principais nomes da música popular brasileira, morreu na manhã desta quarta-feira (9), aos 77 anos. (Foto: Mauricio Santana/Getty Images)

A morte de Gal Costa deixa o Brasil inteiro triste nesta quarta-feira (9). A cantora, que deixa um legado enorme na música brasileira, chegou a falar sobre o medo da morte durante entrevista para o programa "Conversa com Bial".

Na ocasião, Gal abriu o jogo: "Quando é jovem, você não pensa muito em morrer, na morte... Mas quando vai chegando, você começa a pensar que tem uma hora que acaba, né? E eu espero que não acabe. Espero que tenha vida depois que a gente apague. A vida é um milagre."

Pedro Bial, que comanda o programa, ainda perguntou o que a cantora imaginava do momento após a morte. Gal disse que "não gosta de ver o nada" e que, com 75 anos (na época), ela tinha sim medo da morte, mas queria fazer muitas coisas ainda.

Tenho vontade, desejo... A vida sem trabalho e sem música é muito chata. É difícil envelhecer, mas ao mesmo tempo é bom porque quanto mais você fica velho, mais você vive e a vida é tão linda. Eu adoro a vida!

Morte

Gal Costa, um dos principais nomes da música popular brasileira, morreu na manhã desta quarta-feira (9), aos 77 anos. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da artista e a causa da morte ainda não foi revelada.

A cantora era uma das atrações do festival Primavera Sound, que aconteceu em São Paulo no último fim de semana, mas sua performance foi cancelada. De acordo com sua equipe, ela seguiu recomendações médicas para descansar após a retirada de um nódulo na fossa nasal direita e ficaria fora dos palcos até o final de novembro.

Carreira

Uma das maiores vozes da música brasileira, a artista dedicou 55 anos de sua vida aos palcos e acumulou sucessos e prêmios. Ao longo de sua carreira, Gal Costa foi indicada cinco vezes ao Grammy Latino de Melhor Álbum MPB por "Bossa Tropical", "Todas as Coisas e Eu", "Hoje" e "Ao Vivo".