Gana confirma morte de criança pelo vírus de Marburg, primo do ebola

Uma autoridade da Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou, nesta terça-feira, a morte de uma criança pelo vírus de Marburg em Gana. É o terceiro óbito registrado pela doença no país, que foi decretada como um surto na região no último dia 18, quando as duas mortes anteriores foram comprovadas. O patógeno é da família Filoviridae, a mesma do Ebola, e, embora raro, tem também uma alta taxa de letalidade, que chega a 88% dos casos segundo dados dos últimos surtos.

Maus modos? Cientista diz que comer de boca aberta é o certo; entenda por quê

Para não esquecer: Usar o celular melhora as habilidades de memória em vez de piorar, aponta novo estudo

As primeiras vítimas foram dois homens que morreram no final de junho. A OMS não informou mais informações sobre os pacientes, nem sobre a criança. Porém, o diretor regional de resposta à emergências da organização, Ibrahima Soce Fall, disse à imprensa local que o novo óbito é relacionado a um dos primeiros infectados.

— Na semana passada mencionei os dois casos adicionais. Um é a esposa do caso inicial e o outro é o filho do caso inicial. A criança infelizmente morreu, mas a esposa ainda está viva e melhorando — disse o médico da OMS.

Infarto fulminante: Entenda o que pode ter causado a morte do empresário João Paulo Diniz

A organização enviou especialistas ao país, que estão auxiliando as autoridades de saúde local a controlar o surto. Essa é a segunda vez que o vírus é encontrado na África Ocidental. No último ano, a Guiné detectou um caso da doença, o primeiro na região, mas com todos os contatos próximos identificados e isolados o surto foi declarado como encerrado cinco semanas após o início.

Quais os sintomas do Marburg?

De acordo com a OMS, a doença se manifesta de forma abrupta com temperaturas elevadas, dores fortes de cabeça e intenso mal-estar. Além desses, a organização disse que os pacientes que morreram em Gana tiveram diarreia, náuseas e vômitos.

Geralmente, em menos de sete dias os sinais evoluem para uma febre hemorrágica, uma forma de complicação grave que envolve sangramentos e piora dos sintomas. Por isso, o vírus é considerado altamente letal, provocando o óbito de 24% a 88% dos casos, de acordo com a autoridade de saúde.

Dor nas articulações? Saiba como se exercitar sem prejudicar os joelhos

Nos dois casos iniciais em Gana, o primeiro paciente, de 26 anos, deu entrada no hospital em 26 de junho e morreu no dia seguinte. Já o de 51 anos chegou à mesma unidade hospitalar em 28 de junho, mas no mesmo dia não resistiu. Segundo a OMS, os dois contaminados não se conheciam.

Como o Marburg é transmitido?

O Marburg é uma zoonose, ou seja, uma doença disseminada normalmente entre animais que passou a contaminar humanos – como foi o caso com a Covid-19 e a varíola dos macacos. De acordo com a OMS, o vírus é transmitido às pessoas geralmente por morcegos frugívoros, mas se espalha entre humanos pelo contato direto com os fluidos corporais de pessoas, superfícies e materiais infectados.

Autismo, TDAH e dislexia: Novas tecnologias se tornam aliadas para inclusão de pessoas neurodivergentes

Há tratamento para o Marburg?

Ainda não há antivirais destinados ao Marburg ou vacinas capazes de prevenir a doença. O tratamento é direcionado aos sintomas, como pelo uso de antitérmicos para a febre, além de medidas de reidratação oral e por meio de fluidos intravenosos. Segundo a OMS, o cuidado aumenta as chances de sobrevivência do paciente.

A organização afirma ainda que há uma série de medicamentos, imunoterápicos e vacinas em desenvolvimento, mas atualmente estão na primeira fase dos testes clínicos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos