Ganhador da Mega-Sena assassinado enviou áudios à gerente para liberar dinheiro

Ganhador da Mega-Sena tentou liberação de dinheiro para os criminosos - Foto: Reprodução
Ganhador da Mega-Sena tentou liberação de dinheiro para os criminosos - Foto: Reprodução
  • Ganhador da Mega-Sena foi assassinado na semana passada no interior de São Paulo

  • Quadrilha tentou extorquir mais de R$ 3 milhões após sequestrá-lo

  • Vítima tentou a liberação do dinheiro por meio de áudios à gerente do banco

Assassinado na última quarta-feira (14), Jonas Lucas Alves Dias, ganhador de R$ 47,1 milhões na Mega-Sena em 2020, pediu a liberação de parte de sua fortuna em áudios à gerente do banco.

As mensagens foram enviadas quando Jonas estava sob poder dos criminosos. Nelas, a vítima pede que a gerente libere R$ 3 milhões de sua conta.

"Não chegou nada do comprovante, consegue agilizar isso pra mim?", diz o rapaz, em uma das mensagens reveladas pelo g1. "Estou aqui na fazenda, preciso fechar isso ainda hoje", afirma em outra.

Jonas foi extorquido e agredido nas cerca de 20 horas que passou sob domínio da quadrilha. Ele foi encontrado à beira de uma rodovia em Hortolândia, interior de São Paulo, com sinais de espancamento. O rapaz chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

"Ele estava subjugado, isso nós temos certeza. Pede transferência bancária, que obviamente foi negada porque o valor era irreal para ser transferido sem ser presencialmente", explicou ao g1 a delegada Juliana Ricci, titular da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Piracicaba.

Apesar de não conseguirem a liberação dos R$ 3 milhões, os criminosos conseguiram tirar R$ 20 mil da conta de Jonas, sendo R$ 18 mil por Pix e R$ 2 mil em saque com o cartão de débito.

Quatro pessoas são suspeitas de envolvimento na morte de Jonas. Rogério de Almeida Spínola, de 48 anos, e uma mulher identificada apenas como Rebeca, de 24, foram presos.

A polícia ainda procura Roberto Jeferson da Silva, conhecido como "Gordo", de 38 anos, e Marcos Vinicyus Sales de Oliveira, de 22.

Crime foi motivado pelo prêmio

O caso continua sendo investigado, mas, para a corporação, não há dúvidas de que o crime foi motivado pelo valor conquistado na Mega-Sena por Jonas.

"Era uma pessoa muito rica e levava uma vida muito simples. Ele ganhou na Mega-Sena R$ 47 milhões em 2020, não mudou de casa, continuou frequentando exatamente os mesmos lugares, com os mesmos hábitos", relatou a delegada Juliana.