Ganimedes | Conheça a maior lua de Júpiter e de todo o Sistema Solar

Você sabe qual é a maior lua do Sistema Solar? É Ganimedes, maior satélite natural de Júpiter! Mas este mundo não chama atenção apenas por suas dimensões chamativas, já que ele tem muita coisa interessante e intrigante acontecendo por lá. Um exemplo é que Ganimedes é a única lua conhecida com um campo magnético próprio — característica que costuma existir apenas em planetas.

Ganimedes é o maior em meio a 80 satélites naturais de Júpiter identificados até o momento. Mais de 50 deles já receberam nomes oficiais determinados pela União Astronômica Internacional, enquanto outros 20 e poucos estão aguardando designação. Mas claro que, entre tantas luas ao seu redor, Júpiter teria alguns satélites curiosos, que merecem destaque. Entre eles, estão Io, Europa, Ganimedes e Calisto — as chamadas luas galileanas, por terem sido avistadas pela primeira vez por Galileu Galilei.

As luas galleanas de Júpiter: Io, Europa, Ganimedes e Calisto (Imagem: Reprodução/NASA/JPL/DLR)
As luas galleanas de Júpiter: Io, Europa, Ganimedes e Calisto (Imagem: Reprodução/NASA/JPL/DLR)

E, nesta matéria, você conhece um pouco mais sobre a "grandalhona" Ganimedes.

Ganimedes, a maior lua de todas

O título de maior lua não é à toa: Ganimedes tem 5.262,4 km de diâmetro. Para comparação, considere o diâmetro das demais luas galileanas: o de Europa, por exemplo, é de 3.121,6 km, enquanto Io tem diâmetro de 3.642 km e Calisto tem 4.820 km de diâmetro.

Ela é a sétima lua mais próxima de Júpiter, ou a terceira, se considerarmos somente as galileanas. Assim, Ganimedes orbita o gigante gasoso a cerca de 1,07 milhão de quilômetros e leva aproximadamente sete dias terrestres para completar uma volta ao redor do planeta.

Não seria nada agradável passar um dia por lá, já que as temperaturas durante o dia ficam por volta de 77 ºC, caindo para -193 ºC durante a noite. No interior de Ganimedes, há um núcleo de ferro, envolvido por uma camada rochosa e uma crosta congelada e espessa. E, apesar de ser maior que Mercúrio, Ganimedes tem apenas metade da massa do planeta, o que demonstra a baixa densidade de sua estrutura.

Ganimedes, a maior lua do Sistema Solar, em foto de 2021 (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Kevin M. Gill)
Ganimedes, a maior lua do Sistema Solar, em foto de 2021 (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Kevin M. Gill)

Ainda, recentes observações do telescópio Hubble revelaram evidências significativas de um oceano de água salgada por lá. O possível oceano parece estar cerca de 200 km abaixo da superfície congelada de Ganimedes e pode ter mais água que o planeta Terra.

Ganimedes estudada de perto

Assim como as demais luas galileanas, Ganimedes foi descoberta pelo astrônomo italiano Galileo Galilei em janeiro de 1610. Tal descoberta confirmou que outros planetas também tinham luas, não sendo essa uma exclusividade da Terra.

Esta lua já foi observada de pertinho por algumas missões espaciais. A primeira delas foi a Pioneer 10, que a alcançou em 1973. Já em 1974, foi a vez da Pioneer 11 visitá-la. Depois, as sondas Voyager 1 e 2 tiraram fotos da lua durante breves sobrevoos e, mais tarde, a missão Galileo orbitou Júpiter, realizando alguns sobrevoos por Ganimedes no ano 2000.

Mais recentemente, Ganimedes foi visitada outra vez, agora pela sonda Juno. Ela sobrevoou a grandiosa lua em junho de 2021, ficando a pouco mais de mil km de distância de sua superfície. Essa foi a maior aproximação de uma sonda com Ganimedes em mais de vinte anos, desde a missão Galileo. E, claro, a ocasião proporcionou novas fotos de pertinho do maior satélite natural do Sistema Solar, algo que não acontecia há duas décadas.

Sombra de Ganimedes projetada em Júpiter (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Thomas Thomopoulos)
Sombra de Ganimedes projetada em Júpiter (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Thomas Thomopoulos)

Já em 2022, durante um de seus sobrevoos por Júpiter, a Juno fez um registro diferente: ela fotografou a sombra de Ganimedes projetada na bela atmosfera joviana, que você vê na imagem acima. Neste registro, fica bem nítido o tamanho avantajado de Ganimedes, considerando que Júpiter é o maior planeta do Sistema Solar!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: