Garçom que serviu Lula e Dilma e foi demitido por Temer volta ao governo

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - José da Silva Catalão, garçom que já serviu Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT) voltou ao governo.

A nomeação para o cargo de assistente do gabinete pessoal de Lula foi publicada nesta quarta-feira (18) no Diário Oficial e é assinada pelo ministro da Casa Civil, Rui Costa.

Catalão era íntimo do presidente Lula durante o segundo mandato dele no Planalto. Ele também serviu Dilma, mas a relação com a ex-presidente era mais formal.

O garçom foi demitido em maio de 2016 pela equipe do então presidente interino Michel Temer (MDB). Ele não era concursado e ganhava R$ 3.870 na época.

Antes de trabalhar no Planalto, Catalão era oficial do Exército.

Em 2016, Catalão chegou a pedir para ser realocado para outra área do Palácio ao saber da demissão, mas não conseguiu convencer a equipe de Temer. Como mostrou a Folha de S.Paulo, havia uma desconfiança de que ele passasse informações para a equipe de Dilma, afastada após abertura de processo de impeachment.

O garçom sempre negou ter ligação com o PT, apesar da boa relação que tinha com Lula.

Catalão escondia o dedo mindinho da mão esquerda, uma brincadeira para imitar o petista, quando servia o presidente. Lula ria e sempre soltava um palavrão.

Com Dilma, a relação era mais formal e ele era alvo das broncas da então presidente --foi repreendido quando ela deu falta de um queijo que guardava em sua geladeira particular. Ao deixar o Planalto, no entanto, a petista lamentou não poder levar Catalão junto.