Garimpeiro alvo da PF tinha helicópteros e fazia festas com sertanejos

garimpeiro Márcio Macedo
Garimpeiro, Márcio Macedo posa ao lado do seu carro importado. (Foto: Reprodução Polícia Federal)

O garimpeiro Márcio Macedo Sobrinho, sócio da Gana Gold, atual M.M Gold, empresa investigada pela Polícia Federal por garimpo ilegal na região Norte do país, ostentava uma vida de luxo.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, a Polícia Federal obteve fotos, trocas de mensagens e documentos na operação Ganância, deflagrada na quinta-feira (7), que demonstram operações milionárias em suas contas. Há registro de gastos com helicópteros, lanchas, caminhonete importada e uma festa de casamento que contou com a apresentação de duplas sertanejas famosas.

A investigação evidencia a movimentação financeira de Macedo e de seu grupo empresarial e revela que, entre os anos de 2020 e 2021, a exploração ilegal de ouro rendeu cerca de R$ 1,1 bilhão ao garimpeiro.

De acordo com a PF, o grupo empresarial comandado por Macedo é suspeito de garimpo ilegal de ouro e teria movimentado cerca de R$ 16 bilhões entre 2019 e 2021. Parte dos rendimentos provenientes do garimpo teriam sido lavados em operações com criptomoedas.

A empresa Gana Gold, de acordo com a apuração, "esquentava" o ouro extraído ilegalmente em garimpos da região Norte do país. Para tal, ela usava licenças ambientais inválidas, ultrapassando os limites de pesquisa que detinha.

No relatório da PF fica claro como o garimpeiro gastava todo esse dinheiro proveniente de garimpo ilegal. O casamento do empresário, por exemplo, contou com a apresentação de Bruno e Marrone e Jads e Jadson. A PF levantou que o cachê da primeira dupla é de R$220 mil e o da segunda sai a R$80 mil. Entre as fotos apresentadas no relatório da PF, estão uma lancha com o nome "Garimpeiro", caminhonete importada, helicóptero e aviões.

Macedo também é dono de uma mansão em Novo Progresso (PA)., de onde comanda a estrutura de seus garimpos ilegais no estado. Segundo os investigadores, Macedo tinha a intenção de construir uma outra mansão em Goiânia. Em uma ligação interceptada pela PF, Macedo diz que a futura casa precisa ter um heliponto. "Se não for pra ter um heliponto o que que compensa eu investir num lugar desse? Eu já sou acostumado com helicóptero. Tenho dois helicópteros, entendeu?", conta a uma pessoa de nome Priscilla.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos