Garimpeiros ilegais tentam impedir entrada de Exército em terra indígena no Pará

·2 minuto de leitura
Garimpeiros abriram buraco na pista e queimaram ponte. Foto: Reprodução
Garimpeiros abriram buraco na pista e queimaram ponte. Foto: Reprodução
  • Militares estavam no local para apoiar operação da PF

  • Terra Indígena de Kayapó é alvo de exploração irregular

  • Criminosos abriram buraco com retroescavadeira na pista

Um grupo de garimpeiros tentou impedir a passagem de um comboio do Exército e da Força Nacional na rodovia PA-287, no Pará, entre as cidades de Cumaru do Norte e Redenção, no sul do estado. Os militares estavam no local para apoiar uma operação da Polícia Federal que combate a garimpos ilegais dentro da Terra Indígena Kayapó.

A Prefeitura de Cumaru do Norte informou que uma ponte foi queimada e um buraco foi aberto com uma retroescavadeira na estrada. O prefeito Nego (MDB) tentou mediar o conflito, que ocorreu na segunda-feira (23).

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A operação da PF tenta chegar a áreas exploradas ilegalmente usando helicópteros. Na segunda-feira, maquinários do garimpo conhecido como Maria Bonita, dentro da área indígena, foram queimados por agentes do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Os garimpeiros fugiram antes da chegada da equipe.

No sábado (21), três caminhões foram apreendidos na região. Os veículos levavam cerca de 59 mil litros de diesel para a área do garimpo ilegal.

Leia também:

Foram apreendidos também um motor, 50 munições ponto 40 e mantimentos. Esta é a segunda apreensão de carga já realizada no segundo semestre deste ano.

Três homens foram presos em flagrante e encaminhados ao presídio de Redenção.

De acordo com nota, a Operação de Garantia da Lei e da Ordem deveria haver ocorrido entre os dias 28 de junho e 31 de agosto, em 26 municípios nos estados de Amazonas, Mato Grosso, Pará e Rondônia.

A operação de “GLO Samaúma” teve sua renovação anuciada pelo vice-presidente Hamilton Mourão, na 6ª reunião do Conselho Nacional da Amazônia Legal. O general afirmou que a presença dos militares é essencial em período de intensificação do desmatamento e incêndios florestais.

Para Mourão, a próxima ação do Conselho da Amazônia é uma viagem com embaixadores para a Amazônia Oriental, que deve acontecer entre os dias 8 e 10 de setembro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos