Garis se abrigam em creche durante tiroteio em ação da PM na comunidade de Manguinhos

Extra
·1 minuto de leitura

Uma equipes de garis da Comlurb teve que se abrigar numa creche durante um tiroteio ocorrido nesta sexta-feira, na Favela de Manguinhos, no momento em que a Polícia Militar fazia uma operação na comunidade. Um vídeo publicado no perfil da plataforma "Fogo Cruzado" mostra os cinco homens na unidade. Dois deles estão deitados no chão.

Em nota, a Comlurb informou que os funcionários faziam a roçada na Creche Chico Bento, que é interligada ao Ciep Juscelino Kubitschek, quando começou o tiroteio. "Os garis buscaram abrigo na própria creche. Os trabalhadores estão bem e em segurança", informou a companhia.

Segundo a Comlurb, "a situação já foi normalizada e os trabalhos retomados". A nota destacou ainda "que quando encontra situações de conflito ou violência que possam expor os funcionários a riscos, a Companhia suspende temporariamente o serviço e providencia o retorno dos garis à base ou um lugar seguro. A rotina é regularizada assim que a situação na área volta ao normal e as equipes tenham condições de atuarem sem correr perigo".

Durante a manhã, o ramal de Saracuruna da SuperVia teve a circulação afetada por causa do tiroteio em Manguinhos. A partir das 8h30 não houve partidas da Central do Brasil, e trens circulavam apenas entre as estações Bonsucesso e Gramacho, além do trecho Gramacho-Saracuruna, informou a concessionária. O Centro de Operações Rio (COR) emitiu um alerta para que a região seja evitada.

A Polícia Militar informou que a operação foi realizada por agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) de Manguinhos fazem uma operação para "coibir ações criminosas". A corporação informou que não houve prisões nem apreensões.