Garota de programa é presa em Copacabana acusada de estuprar empresário

Paolla Serra
·1 minuto de leitura

Uma garota de programa foi presa em Copacabana, na Zona Sul do Rio, sob acusação de estupro contra o ex-namorado, um empresário de 29 anos. Lidia Nayara de Azevedo, de 38, teria dopado e abusado do ex-companheiro após convidá-lo para o apartamento em que ela mora, em meio a uma suposta reconciliação.

Em depoimento prestado na 13ª DP (Ipanema), a vítima contou que, depois de chegar à residência de Lidia, recebeu uma bebida adulterada e acabou dormindo por quase 24 horas seguidas. Ele só despertou quando recebeu telefonemas da mãe, que revelou ter recebido fotos e vídeos enviados pela moça. Nas imagens, ela mostrava a sessão de abusos sexuais.

Ainda segundo o rapaz, os dois namoravam desde novembro de 2016, entre idas e vindas. O relacionamento era marcado por muitas brigas e há, inclusive, registros de ocorrência feitos junto à polícia por conta de crimes da Lei Maria da Penha.

Durante o estupro, Lidia inseriu dedos e um vibrador no ânus do ex-namorado - tudo registrado por fotos e vídeos, que também foram postados em redes sociais e aplicativos de conversa. À polícia, a vítima afirmou que se sente "humilhado" por todo o ocorrido.

De acordo com o delegado Felipe Santoro, titular dª 13a DP, Lidia foi presa temporariamente pelo crime de estupro. Em seu Relatório de Vida Pregressa. há anotações por diversos crimes, comoG roubo e tentativa de homicídio. Ela foi encaminhada ao sistema prisional.