Gasolina deveria estar 24% mais cara, afirmam especialistas

·2 min de leitura
Preço da gasolina está 24% abaixo do que deveria ser, dizem especialistas (Photo by Wagner Meier/Getty Images)
Preço da gasolina está 24% abaixo do que deveria ser, dizem especialistas (Photo by Wagner Meier/Getty Images)
  • Diesel também vem sendo vendido pela Petrobras 27% abaixo do preço;

  • Maior acionista da petroleira, o governo federal, não quer ver os valores aumentarem em ano de eleição;

  • Último reajuste da gasolina aconteceu em 12 de janeiro.

Seguindo a política de preços da Petrobras, que atrela o preço dos combustíveis vendidos aos postos pela estatal àqueles praticados no mercado internacional, o preço da gasolina deveria ser 24% maior, enquanto o diesel deveria estar 27% mais caro. É o que aponta um estudo realizado por Pedro Shinzato, consultor em Gerenciamento de Risco da consultoria Stonex.

Com o conflito europeu entre a Rússia e a Ucrânia, o preço do barril de petróleo já subiu para além dos US$ 100. Segundo o cálculo de Shinzato, isso quer dizer que a Petrobras deveria vender o litro do diesel S-10, sem impostos e sem biodiesel, por R$ 4,62. Já o preço da gasolina na refinaria deveria ser de R$ 4,04. Atualmente os preços de venda de estatal são de R$ 3,63 para o litro do diesel, e R$ 3,26 para o litro da gasolina.

De acordo com a Petrobras, o motivo desta diferença é que a empresa opta por manter intervalos de reajustes mais espaçados, de modo a fugir de oscilações conjunturais da commodity. Isto é, para que eventos políticos ou ambientais pontuais não causem uma flutuação exagerada no preço.

O reajuste pode também estar sendo segurado pelo governo federal, que vê com maus olhos o aumento no preço dos combustíveis no ano de eleição. Atualmente a União é a maior acionista da empresa, possuindo quase 1/3 das ações da petroleira.

Por outro lado, em busca de maiores dividendos, os sócios minoritários exigem o cumprimento da política de preços do PPI (Preços de Paridade de Importação), criada pelo governo Temer, e pressionam os diretores da empresa para manter a independência de desejos políticos do governo. O lucro recorde de R$ 106 bilhões em 2021 da estatal, anunciado nos últimos dias, só aconteceu graças aos aumentos sucessivos da taxa cambial e do petróleo no mercado internacional.

Especialistas no setor, no entanto, afirmam que dificilmente a Petrobras conseguirá manter o preço como está por muito mais tempo. O último reajuste aconteceu em 12 de janeiro e um novo deve acontecer nos próximos dias.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos