Gato é resgatado coberto de graxa e sem se mexer e sobrevive

·2 min de leitura
Gato foi encontrado na rua, coberto de graxa e lama, em Santos (SP) - Divulgação/ONG Viva Bicho
Gato foi encontrado na rua, coberto de graxa e lama, em Santos (SP) - Divulgação/ONG Viva Bicho
  • Um gato foi encontrado jogado na rua, coberto de graxa, lama e sem se mexer

  • Ele conseguiu miar e mostrar que estava vivo a uma pessoa que passava pela rua, em Santos (SP)

  • O gato foi batizado como Francisco em homenagem a São Francisco de Assis, padroeiro dos animais

Um gato foi encontrado jogado na rua, coberto de graxa, lama e sem se mexer. O bichano conseguiu miar e mostrar que estava vivo a um pedestre, em Santos (litoral de São Paulo), e foi encaminhado a uma ONG de proteção animal.

Batizado como Francisco em homenagem a São Francisco de Assis (padroeiro dos animais), o gato foi diagnosticado com infecção no sangue e intoxicação devido à graxa, e sua temperatura era tão baixa que não pode ser registrada pelo termômetro da clínica que o atendeu.

Leia também:

"Ele reviveu. Por isso escolhemos esse nome, acho que não teria nome melhor para esse gatinho, que foi salvo no Dia de São Francisco de Assis", contou ao portal G1 Marilucy Pereira, presidente da ONG Viva Bicho Santos.

Segundo Marilucy, o gato foi encontrado por um homem no fim da tarde, próximo ao cais do Porto de Santos. A princípio, ele achou que o animal estava morto, pois estava imóvel e coberto de graxa e lama. Ao se aproximar, ouviu um miado baixo e ligou para a ONG, que levou o bichano a uma clínica veterinária.

No hospital, o procedimento de limpeza durou quase três horas, para retirada da graxa, banho e secagem, todos os procedimentos com água e temperaturas quentes. O gato também estava desidratado e precisou receber soro em temperatura morna, devido à baixa temperatura do corpo.

A graxa causou problemas neurológicos ao animal. "Ele chegou aqui na ONG dando cambalhotas, de repente. Não tinha muito senso de direção, e aí vimos que se tratava de uma intoxicação", explicou ao portal G1 Marilucy Pereira.

No dia seguinte, o animal apresentou uma melhora significativa. A ONG não sabe o que o deixou naquele estado, mas afirma que não se tratava de um gato de rua. Após dias de tratamento, Francisco teve a infecção e a intoxicação curadas. Atualmente, o pet aguarda por adoção, sob os cuidados da ONG. De acordo com Marilucy, "está 100% melhor".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos