Gazprom prolonga corte de gasoduto vital para Europa por problema de turbina

A estatal russa Gazprom anunciou nesta sexta-feira (2) que o gasoduto Nord Stream, vital para o abastecimento da Europa, permanecerá com as torneiras fechadas por um problema de turbina.

O duto, que leva o fluido até a Alemanha, deveria ser reaberto neste fim de semana, depois de três dias de suspensão do fornecimento por "trabalhos de manutenção".

Contudo, a empresa informou nesta sexta que foram detectados "vazamentos de óleo" em uma turbina e que o abastecimento ficará "totalmente suspenso" até a conclusão dos reparos, sem determinar uma data para isso.

A Gazprom publicou no Telegram uma foto de cabos cobertos com um líquido escuro.

Pouco antes, havia indicado que a reabertura estava "ameaçada" pela falta de peças de reposição para as instalações, culpando as sanções impostas pelos países ocidentais contra a Rússia em resposta à ofensiva militar lançada por Moscou na Ucrânia.

Desde o início dessa intervenção, no fim de fevereiro, a Rússia vem reduzindo significativamente suas entregas de gás aos países europeus em resposta a essas sanções.

Os países ocidentais, por sua vez, acusam a Rússia de utilizar o gás "como arma".

O gasoduto Nord Stream leva gás russo até o norte da Alemanha, de onde é distribuído para outros países do continente.

O anúncio desta suspensão indefinida corre o risco de acentuar os temores de uma escassez de gás no próximo inverno europeu. A esses temores se soma a disparada dos preços da eletricidade.

Após o anúncio da Gazprom, o governo alemão garantiu que o fornecimento de gás estava assegurado.

"A situação do mercado de gás é tensa, mas a segurança do fornecimento está garantida", afirmou uma porta-voz do Ministério da Economia alemão em comunicado.

Para o governo alemão, "a falta de confiabilidade da Rússia nas últimas semanas" já tinha ficado evidente, acrescentou a porta-voz.

bur/rl/har/js/meb/rpr/mvv/am