Geddel é transferido de penitenciária de Brasília para Salvador

***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 22.11.2016: Geddel Vieira Lima se reúne com índios no anexo do Palácio do Planalto, em Brasília (DF). (Foto: Alan Marques/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Preso no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, desde 2017, Geddel Vieira Lima foi transferido nesta sexta-feira (20) para Salvador. As informações são da Agência Brasil.

Na capital baiana, ele terminará de cumprir a pena de 14 anos e 10 meses de prisão a que foi condenado em outubro de 2019, pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Segundo a Sesipe (Subsecretaria do Sistema Penitenciário) do Distrito Federal, Geddel foi transferido por força de decisão do STF (Supremo Tribunal Federal ). Ele foi escoltado por agentes da Polícia Federal, a bordo de uma aeronave da corporação.

Na semana passada, o ministro Edson Fachin, do STF, acolheu o pedido da defesa de Geddel e autorizou sua transferência para o sistema carcerário em Salvador. No pedido de remoção, a defesa alegou que os parentes de Geddel moram na capital da Bahia.

Ex-deputado federal, Geddel atuou como ministro nos governos dos ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Michel Temer (MDB). Ele foi preso em setembro 2017, depois que a polícia encontrou R$ 51 milhões guardados em malas deixadas em um apartamento de Salvador.

No mesmo julgamento, o ex-deputado Lúcio Vieira Lima, irmão de Geddel, recebeu pena de 10 anos e seis meses de prisão.

Ao autorizar a transferência de Geddel, o ministro Fachin determinou que, além de continuar a cumprir sua pena em Salvador até ter direito à progressão de regime, Geddel deverá pagar R$ 1,6 milhão como pena pecuniária pela condenação.

Segundo a Seap-BA (Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização da Bahia), Geddel ficará no Centro de Observação Penal do Complexo Penitenciário da Mata Escura, em Salvador.

A reportagem tentou fazer contato com a defesa de Geddel, mas não obteve retorno.