'Gêmeos fujões', diz Ciro sobre ausência de Lula e Bolsonaro em debate

Líderes nas pesquisas, Lula e Bolsonaro não responderam sobre participação em debate marcado para o dia 14 e foram criticados por Ciro. (Foto: REUTERS/Leonardo Benassatto)
Líderes nas pesquisas, Lula e Bolsonaro não responderam sobre participação em debate marcado para o dia 14 e foram criticados por Ciro. (Foto: REUTERS/Leonardo Benassatto)

O debate entre presidenciáveis que seria realizado pelo consórcio de veículos de imprensa composto por UOL, Folha de S.Paulo, G1, O Globo, O Estado de S.Paulo e Valor, foi suspenso nesta quinta-feira (11) após a falta de retorno do ex-presidente Lula (PT) e do presidente Jair Bolsonaro (PL) sobre a participação deles.

As equipes de Simone Tebet (MDB) e Ciro Gomes (PDT), quarta e terceiro colocados nas pesquisas de intenções de votos, confirmaram participação.

Nas redes sociais, Ciro classificou a situação como absurda e chamou o petista e o atual governante do país de “gêmeos fujões”.

“Mais uma vez se repete o absurdo: os gêmeos fujões Lula e Bolsonaro abandonam o debate, e a imprensa que se diz livre e democrática rende-se ao jogo sórdido e autoritário e cancela o evento. Quem fica devendo mais à democracia?”, questiona o candidato.

Durante a pré-campanha, o ex-ministro tem criticado Lula após a campanha do petista ter solicitado a realização de um número específico de debates, com emissoras e veículos em pool, para que ele não ficasse preso a essas agendas e pudesse viajar pelo país.

Para Ciro, Lula repete o comportamento de Bolsonaro em 2018, quando o então candidato alegou problemas de saúde para faltar aos debates promovidos com os candidatos à República.

O debate estava marcado para 14 de setembro, em São Paulo, previa reunir os quatro primeiros colocados em pesquisa eleitoral Ipec ou Datafolha da semana anterior ao evento, e ocorreria com a confirmação de ao menos três desses quatro.

Contudo, com a falta de respostas dos dois primeiros colocados até 23h59 desta quarta-feira (10), o consórcio de imprensa optou por suspender o debate.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

Uma reunião entre o consórcio e partidos foi realizada no dia 3 de agosto, informando que a participação dos candidatos teria uma semana para ser confirmada.

Além de Ciro e Tebet, as campanhas de Leonardo Péricles (UP), Luiz Felipe D'ávila (Novo), Pablo Marçal (PROS), Sofia Manzano (PCB), Soraya Thronicke (UB) e Vera Lúcia (PSTU) confirmaram a participação; José Maria Eymael (DC) não respondeu.

“O consórcio de veículos de imprensa lamenta a falta de disposição dos dois candidatos que lideram as pesquisas em debater os problemas e as soluções para o país neste momento importante da democracia brasileira”, diz a nota divulgada pelos veículos de imprensa.

Segundo o texto, o debate tinha o objetivo de “estimular um diálogo aprofundado, que revelasse as visões dos candidatos sobre o país e desse a eles a oportunidade de responder a questões de interesse público”.

A nota indica ainda que o consórcio permanece aberto a discutir a realização do evento caso as campanhas daqueles que lideram as pesquisas estejam interessadas.