Gêmeos morrem de Covid-19 com intervalo de dois dias; ambos tomaram kit contra vírus

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Genilton e Jailson Rodrigues morreram em Ponta Grossa (PR) - Foto: Arquivo Pessoal
Genilton e Jailson Rodrigues morreram em Ponta Grossa (PR) - Foto: Arquivo Pessoal
  • Genilton foi o primeiro a sentir os sintomas e morreu no último dia 13

  • Jailson morreu dois dias depois, na segunda-feira

  • Os irmãos tomaram azitromicina

Dois irmãos gêmeos morreram com dois dias de diferença na cidade de Ponta Grossa, no Paraná, vítimas de Covid-19. Genilton e Jailson Rodrigues tinham 47 anos e não resistiram aos efeitos do vírus, segundo informações do UOL.

Genilton foi o primeiro a sentir os sintomas da doença, em 8 de fevereiro. Internado seis dias mais tarde, foi encaminhado à UTI já no dia seguinte e não saiu mais. O óbito foi confirmado no último sábado.

Leia também:

Já Jailson deu entrada no hospital uma semana depois, ficou dois dias no quarto, com uso do respirador, mas também precisou ser encaminhado à UTI. Ele não resistiu e morreu na última segunda.

Segundo a reportagem do UOL, os irmãos receberam o kit covid quando procuraram tratamento médico inicialmente. O mix de remédio continha, entre outros, a azitromicina, que não teve eficácia no combate ao coronavírus confirmada pela Organização Mundial da Saúde.

Os irmãos foram novas vítimas da Covid-19
Os irmãos foram novas vítimas da Covid-19

"Na segunda-feira (8), ele (Genilton) teve dor de cabeça, um pouco de dor no corpo. E na quarta-feira (10), ele fez o teste e já deu positivo. Aí, já ficou em casa tomando os medicamentos necessários, os remédios básicos para os primeiros sintomas, que é azitromizina, vitaminas D, C, zinco e, se desse febre, Novalgina 1 mg", contou Zenei Pepe Rodigues, esposa de Genilton.

Vizinha cria vaquinha para pagar conta

No caso de Jailson, a família ainda teve que arcar com um prejuízo financeiro considerável. O rapaz não possuía plano de saúde, mas, diante da ausência de leitos disponíveis, foi internado no mesmo hospital particular do irmão.

Segundo Zenei, a conta do hospital estava em mais de R$ 110 mil na última sexta-feira, sendo que a família teria que pagar 40% dela. Por isso, uma vizinha criou uma vaquinha online para ajudar nas despesas, e a esposa de Jailson vendeu o carro do marido.