General da Otan quer tropas na Bulgária e na Romênia, diz jornal alemão

·1 min de leitura

BERLIM (Reuters) - O principal general da Otan sugeriu que a aliança estabeleça uma presença militar na Bulgária e na Romênia depois que a Rússia montou posição perto da fronteira com a Ucrânia, publicou o jornal alemão Der Spiegel neste sábado.

A publicação afirmou que as propostas feitas por Tod Wolters, Comandante Supremo das Forças Aliadas da Otan na Europa, terão como efeito ampliar a missão da "presença avançada melhorada" da aliança, sob a qual tem enviado forças militares para Estados bálticos e para a Polônia.

O Der Spiegel não citou Wolters diretamente. A publicação afirmou que obteve a "informação" de que Wolters "defendeu um reforço de tropas na fronteira oriental" da Otan durante uma videoconferência com chefes militares das nações aliadas da Otan.

O jornal afirmou que o plano terá como efeito "expandir a presença da Otan (para Romênia e Bulgária) por meio da missão de Presença Avançada Melhorada (EFP)".

Representantes da Otan não comentaram o assunto. A expansão da presença da Otan na Bulgária e Romênia é algo que ambos os países têm pedido.

A Rússia nega que esteja planejando uma invasão da Ucrânia. O país afirma que está respondendo ao que considera como ameaças à sua segurança por conta das relações cada vez mais próximas da Ucrânia com a Otan e aspirações do país em aderir à aliança.

Moscou disse na sexta-feia que quer uma garantia vinculante da Otan de que vai desistir de qualquer atividade militar no leste da Europa e na Ucrânia.

(Por Victoria Waldersee e Sabine Siebold)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos