General da reserva assume cargo de ex-diretor da Saúde suspeito de pedir propina

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O general da reserva Ridauto Fernandes foi nomeado nesta quarta-feira como diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde. O cargo estava vago desde a semana passada, quando o então diretor, Roberto Ferreira Dias, foi exonerado pela suspeita de ter cobrado propina em uma negociação de compra de vacina.

Fernandes já atuava como assessor do Departamento de Logística desde janeiro, quando foi nomeado pelo então ministro Eduardo Pazuello. Na semana passada, após a exoneração de Dias, ele foi escolhido como substituto do diretor. Agora, foi oficializado no cargo.

Dias prestará depoimento nesta quarta-feira na CPI da Covid. Na semana passada, o policial militar Luiz Paulo Dominghetti disse à comissão que o então diretor cobrou propina para viabilizar a compra de 400 milhões de doses da vacina AstraZeneca. Dias nega a acusação.

Em janeiro, o GLOBO mostrou que Fernandes já defendeu que o presidente Jair Bolsonaro fizesse uma intervenção nos estados e até declarasse estado de sítio para determinar as regras de circulação durante a pandemia de Covid-19.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos