General Mourão diz que Onyx terá de "se retirar do governo" caso caixa 2 seja comprovado

Vice-presidente eleito, General Hamilton Mourão (PRTB) durante evento em Belo Horizonte (MG) (Júnia Garrido/Futura Press)

O vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão (PRTB), afirmou que o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM) terá de deixar o cargo no governo caso sejam comprovadas irregularidades em dinheiro supostamente recebido por caixa dois em campanhas eleitorais. A declaração foi dada na tarde desta quarta-feira (5) em encontro com empresários em Belo Horizonte (MG).

Leia mais:
‘Minha vida não depende de Bolsonaro’, diz Magno Malta a jornal
Futuro ministro, general Augusto Heleno liderou missão polêmica no Haiti

“Uma vez que seja comprovado que houve ilicitude, é óbvio que terá que se retirar do governo. Mas, por enquanto, é uma investigação”, disse o vice de Jair Bolsonaro.

Na última terça (4), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin acatou pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para abertura de investigação contra Lorenzoni. Será uma espécie de apuração preliminar que deve averiguar acusações feitas por executivos do grupo J&F em delações premiadas.

Os depoimentos relatam episódios de caixa dois entre 2010 e 2014, voltados para campanhas eleitorais, que constam em planilhas entregues pelos colaboradores.

O futuro ministro, que já admitiu ter recebido R$ 100 mil ilícitos na campanha de 2014, disse ser uma “bênção” a decisão de Fachin.

“Pra mim é uma bênção porque vai permitir que tudo se esclareça. Não tenho nenhum problema com isso. Ao contrário, é a chance de resolver”, afirmou o deputado federal.