Genial/Quaest mostra Lula com 48% e Bolsonaro com 41% no 2º turno

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

Por Pedro Fonseca

(Reuters) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) soma 48% das intenções de voto para o segundo turno da eleição presidencial contra 41% do candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL), mostrou nesta quinta-feira a primeira pesquisa Genial/Quaest realizada após o primeiro turno da corrida pelo Palácio do Planalto.

Os indecisos somam 7%, enquanto 4% disseram que votarão em branco ou nulo ou que não irão votar. A margem de erro do levantamento, que foi realizado de 3 a 5 de outubro, é de 2 pontos percentuais.

Em votos válidos, que não contam os brancos e nulos e os indecisos da pesquisa, Lula teria entre 52% e 56% dos votos válidos, enquanto Bolsonaro poderia ter entre 44% e 48%, de acordo com a pesquisa.

O último levantamento Genial/Quaest antes do primeiro turno havia apontado que, em caso de segundo turno entre Lula e Bolsonaro, o petista tinha vantagem de 51% a 40% das intenções de voto.

Depois dos resultados oficiais do primeiro turno, os institutos de pesquisa têm sido alvo de críticas, especialmente de Bolsonaro e aliados, por terem subestimado os números do candidato à reeleição na primeira votação. No domingo, Lula teve 48,43% dos votos válidos, enquanto o presidente somou 43,20%. Pesquisas na véspera apontavam uma vantagem de até 14 pontos percentuais a favor do petista.

De acordo com o levantamento divulgado nesta quinta, 92% dos eleitores de Lula e 94% dos eleitores de Bolsonaro disseram que seu voto é definitivo.

A pesquisa também apontou que subiu para 50% o percentual de eleitores que acreditam que Bolsonaro merece uma segunda chance como presidente, ante 44% no levantamento anterior, enquanto caiu para 48%, ante 54%, o percentual dos que acham que o atual presidente não merece ser reeleito.

Em relação a Lula, recuou para 51% ante 54% o percentual dos que acreditam que o petista merece voltar a ser presidente, enquanto variou para 46%, de 44%, os que afirmam que ele não merece.

Bolsonaro também teve resultados positivos nos quesitos rejeição e avaliação do governo. Quanto à rejeição, recuou para 50% ante 55% os que dizem que não votariam no presidente de jeito nenhum. Lula também teve melhora, com rejeição de 41% ante 44% na pesquisa passada.

A pesquisa também apontou que 38% dos entrevistados avaliam o governo Bolsonaro de forma negativa, contra 41% uma semana atrás, ao passo que 35% o veem positivamente, ante 31% antes.

O levantamento do instituto Quaest contratado pela corretora Genial Investimentos ouviu 2.000 pessoas em entrevistas presenciais.