'A gente pode cancelar 2020', diz Isis Valverde

Isis com Rael, em ensaio publicado na Revista ELA no Dia das Mães do ano passado

Em bate-papo ao vivo via Instagram, a atriz Isis Valverde, de 33 anos, falou sobre como este ano tem sido difícil para ela. "A gente pode cancelar 2020. Perdi meu pai, uma grande amiga e minha avó. Depois, veio a pandemia", contou. Em conversa com a editora assistente da Revista ELA, Joana Dale, a atriz ressaltou a importância do filho, Rael, de 1 ano e 6 meses, no enfretamento desses momentos. "Ele me dá forças. Rael é o meu bálsamo, me trouxe um consolo muito forte", afirmou.

Sobre a quarentena, ela destacou o fato de estar numa posição de privilégio, em casa, com a família saudável e comida na mesa. "A gente está bem. Tem dias que fico mais pensativa. Mesmo privilegiada, sou humana. E ser humano é um bicho esquisito", comentou. "O importante é não ficar se julgando, não se cobrar tanta produtividade, não se culpar quando não consegue malhar ou ler um livro", observa.

No bate-papo, a atriz disse estar preocupada com o ódio disseminado na internet. "As pessoas estão muito hostis e eu sou uma mulher solar, faço parte da galera do bem", observou. Outra angústia é ver o aumento da violência doméstica contra a mulher decorrente do confinamento. "Minha mãe é escrivã, está no front. A convivência é difícil. Estou muito assustada com o que está acontecendo", afirmou. Por falar em mãe, ela disse que se no passado estendia um tapete vermelho para a mãe passar, hoje ela se deita. "Para minha mãe passar por cima. Estou triste por ter de ficar separada dela no Dia das Mães, mas estou programando uma surpresa", contou.

Hiperativa, Isis disse que precisa movimentar o corpo para se conectar com o interior. "Eu nado, me exercito, faço ioga", lista. Sobre o fato de o marido ter ido pegar onda nesta quarta-feira, na Praia da Barra, desrespeitando a quarentena, respondeu. "Ele não se aguentou e foi surfar. André tem 40 anos. Prefiro tomar conta do pequenininho."