'A gente viu que incomodava, porque ele é um homem branco e eu uma mulher preta', diz Aline Wirley, sobre união com Igor Rickli

Marcelle Carvalho
·1 minuto de leitura
Foto: Vinicius Mochizuki

Aline Wirley é uma mulher de fibra. Casada com o ator Igor Rickli, o vilão Alberto de 'Flor do Caribe', há cinco anos, sendo que estão juntos há dez, a cantora fala da trajetória ao lado do marido com muita consciência.

— Quando olho para tudo que construí ao lado do Igor nos últimos dez anos, me vêm sentimentos de muita alegria e gratidão pelo nosso encontro. Porque a gente passou por muitas coisas, desde as mais legais, como a chegada do nosso filho, até as mais cabulosas — afirma Aline, de 38 anos.

As ditas cabulosas, infelizmente, têm a ver com o preconceito.

— A gente viu que incomodava. Tudo porque ele é um homem branco e eu uma mulher preta. Então, as pessoas achavam: “Nossa, como esse homem tão lindo está casado com essa mulher?” ou “Ele é tão legal por ter casado com você...” Quando raspei o cabelo, disseram que eu tinha feito “trabalho” para conseguir uma pessoa como ele.

Mas a cantora se comove ao apontar a desconstrução do marido à medida que os absurdos iam batendo à porta do casal.

— Esse tempo todo com Igor vi como ele se movimentou internamente mesmo. É difícil os brancos olharem para nossa história e vê-la como ela é: um casal inter-racial que se ama profundamente. Ninguém quer ser apontado como racista, mas existe gente assim. Quando Igor começou a despertar para os abusos que o povo negro ainda sofre, percebeu que isso passava por seus ancestrais, consequentemente por ele, e caiu em uma espiral de dor e culpa grandes — diz a cantora, que afirma: — Igor talvez seja a pessoa mais comprometida em mostrar a mulher preta foda que eu sou.