George Blake, célebre agente duplo britânico da Guerra Fria, morre aos 98 anos

·1 minuto de leitura
George Blake, o famoso ex-agente duplo britânico que atuava para a KGB soviética, em Moscou, em foto de junho de 2001

O ex-espião britânico e agente duplo George Blake, que espionava o Reino Unido para a KGB soviética nos anos 1950, morreu aos 98 anos perto de Moscou, onde vivia há vários anos, anunciaram neste sábado as agências de notícias russas.

"O lendário oficial da inteligência George Blake faleceu hoje. Ele amava sinceramente nosso país e admirava as conquistas de nossa população durante a Segunda Guerra Mundial", declarou o porta-voz da Agência de Inteligência Russa (SVR), Serguei Ivanov, à agência pública de notícias TASS.

Ex-membro da resistência da Holanda durante a Segunda Guerra Mundial e agente do MI6, o serviço de inteligência externo britânico, durante a Guerra Fria, George Blake ofereceu os seus serviços aos soviéticos nos anos 1950, depois de testemunhar os bombardeios americanos contra os civis durante a Guerra da Coreia.

Ele apresentou os nomes de centenas de agentes à KGB, alguns deles executados pela inteligência russa, e revelou a existência de um túnel secreto em Berlim Oriental, usado para espionar os soviéticos.

Blake foi denunciado em 1961 por um agente duplo polonês e condenado a 42 anos de prisão no Reino Unido.

Cinco anos depois ele conseguiu escapar da prisão usando uma corda e com a ajuda de três companheiros de cela.

Em sua fuga, ele conseguiu atravessar a Cortina de Ferro e chegou à Alemanha Oriental, antes de seguir até a União Soviética. Em Moscou foi considerado um herói e recebeu a patente de coronel do serviço de inteligência russo.

Após a queda da União Soviética, país ao qual dedicou sua vida, ele disse que nunca se arrependeu de suas ações.

George Blake estava entre os últimos agentes duplos britânicos vivos que a URSS recrutou durante a Guerra Fria.

pop/bl/es/fp