Gerente de futebol do Santos admite dificuldades em renovar com Kaio Jorge

Alexandre Praetzel
·2 minuto de leitura
Kaio Jorge pode deixar o Santos de graça, em dezembro. Foto: Jorge Rodrigues/AGIF
Kaio Jorge pode deixar o Santos de graça, em dezembro. Foto: Jorge Rodrigues/AGIF

O Santos está tentando renovar o contrato de Kaio Jorge, centroavante titular do time, em 2020. O garoto de 19 anos encerra seu vínculo em dezembro de 2021 e poderá deixar o Santos de graça, sem a compensação financeira de mercado. 

O gerente de futebol, Jorge Andrade, falou da dificuldade em renovar com Kaio Jorge, mesmo acreditando no poder de negociação do presidente Rueda, em entrevista à Rádio Bandeirantes, com o acompanhamento do blog.

"O presidente Rueda está tratando disso de forma muito eficaz e tem se esforçado muito nessa renovação do Kaio Jorge. O Kaio fez um contrato de três anos, que era o possível a ser feito e num ano e meio ele começou a jogar no profissional e quando vemos, falta um ano para o contrato acabar. Quando você vai começar a negociar, o contrato está acabando. Esse é o problema da legislação, que favorece o mercado que tem o maior poder. Se terminar o contrato, ele sai livre e fica apenas uma compensação como clube revelador, que é um valor irrisório pelo que ele vale no mercado. Um contrato de cinco anos seria o ideal. Esperamos ter um final feliz nesta história", revelou.

Kaio Jorge foi campeão mundial Sub-17, pela Seleção Brasileira, e ganhou espaço com Cuca, se destacando com gols e boas atuações. Já fez 51 jogos e marcou nove gols. 

Jorge Andrade admitiu que Kaio Jorge é um dos ativos do Santos que pode ser negociado, pela crise financeira santista. 

"A gente não pode dizer que não precisamos de receitas, né. Precisamos sim, o clube está vivendo uma situação muito complicada e a gente sabe que uma das maiores fontes de receitas são as vendas de atletas. Se tiver que acontecer alguma oportunidade, será muito bem avaliada pelo presidente. Essa gestão tem se mostrado muito transparente com excelentes gestores em suas carreiras. Pessoal que veio para organizar e tornar o clube administrável de uma forma transparente e muito séria. Temos reuniões de rotinas e isso tem comprovado o quanto são profissionais, no sentido de fazerem as coisas bem feitas. Nosso sonho seria manter esses meninos por aqui por anos, até o mercado absorvê-los, mas infelizmente é uma realidade difícil de acontecer pelos problemas financeiros e pelo mercado ser muito agressivo com nossos jovens", afirmou. 

Jorge ainda comentou sobre possíveis interessados no prodígio Angelo, 16 anos.

"Angelo é um menino que vem crescendo e os europeus acompanham ele, com convocações para a Seleção Sub-15. Tão jovem e estreando numa equipe como o Santos, chama muito a atenção do mercado, não só o Liverpool como outros clubes europeus devem estar observando, trabalhando muito scouts e análises de mercado", concluiu.