Gestantes poderão acompanhar desenvolvimento do feto pelo celular; entenda

Durante a gravidez é sempre importante acompanhar o crescimento do bebê por meio de exames de imagem, como o ultrassom. Atualmente, a ultrassonografia requer equipamentos volumosos e especializados disponíveis apenas em hospitais e consultórios médicos. Cientistas do MIT, Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, desenvolveram um dispositivo que permitirá que mamães acompanhem o desenvolvimento do feto por meio de um aplicativo celular.

Varíola dos macacos: cientistas identificam dois novos sintomas do surto atual; saiba quais

Primeira morte por varíola dos macacos: 'Estamos vendo a ponta do iceberg', diz infectologista

Chamado de ‘Wearable’, ou vestível, em tradução livre, tem o tamanho de um selo postal. Ele pode capturar imagens contínuas ao vivo que mostram o que está acontecendo nas profundezas do corpo por até 48 horas. Os pesquisadores estão desenvolvendo agora, por meio de inteligência artificial, um modo para que os dados sejam transferidos para um aplicativo disponível em smartphones.

Os pesquisadores do MIT fizeram um teste com 15 voluntários que usaram o adesivo em várias partes do corpo, como pescoço, peitoral, abdômen e nos braços, por 48 horas. Durante esse período, eles realizaram uma série de atividades, como pedalar e levantar pesos. O monitoramento mostra alterações no coração e nos músculos enquanto o indivíduo faz exercícios físicos e inchaço abdominal durante a alimentação.

Os resultados foram publicados pela revista cientifica Science e os cientistas esperam que o dispositivo seja disponibilizado em lojas e farmácias dos Estados Unidos o mais breve possível.

Avanço da doença: Brasil registra primeiros casos de crianças com varíola dos macacos

“Nós idealizamos que os adesivos possam ser usados em várias partes do corpo. Acreditamos que chegamos a uma nova era de dispositivos vestíveis de imagem que permitirão uma visualização interna dos nossos órgãos”, explica o professor de engenharia mecânica do MIT e um dos idealizadores do projeto, Xuanhe Zhao.

O professor ainda recomenda que o aparelho, por ter apenas 48 horas de duração, seja usado uma vez por semana por motivos de segurança.

Anitta: especialistas alertam para riscos de perfume para região íntima

A esperança com o adesivo é ainda maior entre a comunidade cientifica, pois, por ser apto a funcionar em diversas partes do corpo, ele pode ser usado em pacientes com suspeitas ou diagnosticados com câncer, afim de monitorar tumores, agilizar tratamentos e a realização de diagnósticos precoces.

O “Wearable” está sendo visto como o próximo grande passo da medicina quando o assunto é exames de imagens, pois, os aparelhos de ultrassom disponíveis atualmente captam as frequências sonoras emitidas pelo organismo convertida em imagens e são reproduzidas em um computador específico, necessitando de muitos fios.

Caso o dispositivo do MIT mostre eficácia e seja considerado apto para realização de exames, ele pode ser a chave para que os cientistas americanos trabalham há anos: disponibilizar novas tecnologias sem fio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos