Gestores fecham torneira e financiamentos a startups nos EUA secam em 2022

Por Krystal Hu

NOVA YORK (Reuters) - O financiamento a startups dos Estados Unidos caiu em um terço em relação a 2021, segundo dados do PitchBook revelados nesta sexta-feira, apesar de novos e atuais fundos de venture capital terem levantado mais recursos do que nunca.

As empresas que receberam recursos de venture capital captaram 238,3 bilhões de dólares no ano passado, 31% abaixo do recorde de 344,7 bilhões em 2021, mostraram os dados.

Sentados em uma pilha de fundos não utilizados, os gestores retardaram a execução do capital em empresas de tecnologia não lucrativas, em meio ao aumento das taxas de juros, riscos geopolíticos e volatilidade do mercado.

Os gestores de fundos de venture capital não quiseram arriscar, então as coisas quase pararam, disse Pegah Ebrahimi, cofundador da FPV Ventures, um novo fundo de 450 milhões de dólares lançado em 2022. "Ninguém quer se apoiar quando não têm certeza de quão longe está o fundo."

O desempenho dos ativos segue pesando na confiança dos investidores. As ofertas iniciais de ações (IPOs) estão escassas, limitando as opções de saída para investidores de venture capital. Os múltiplos de receita para as startups de tecnologia caíram para cerca de 5,7 vezes a receita, contra 17 vezes um ano antes, segundo o BVP Nasdaq Emerging Cloud Index.

Embora a atividade de negócios anjo ou em estágio 'seed' siga relativamente resiliente, startups de estágio mais avançado tendem a receber avaliações menores do que nas últimas rodadas ou aceitar financiamento com características semelhantes a dívidas, que oferecem mais proteções aos investidores.

A startup de segurança cibernética Snky levantou 196 milhões de dólares, o que levou a uma queda de 12% na sua avaliação, para 7,4 bilhões de dólares, em dezembro. A TripActions, uma empresa de viagens e despesas corporativas, recebeu 150 milhões de dólares de capital estruturado da Coatue Management.