Gilmar diz que Supremo respalda trabalho de Moraes no TSE e seguirá defensor da Constituição

Ministro do STF Gilmar Mendes

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro Gilmar Mendes, mais antigo integrante do Supremo Tribunal Federal (STF) em atividade, disse nesta quarta-feira que a corte vai respaldar o trabalho de Alexandre de Moraes no comando do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e também defender a Constituição, em discurso no dia em que se completam 34 anos da promulgação da Carta Magna.

"Coragem que não faltou, coragem que não faltará a este Supremo Tribunal Federal. Estamos irmanados no mesmo propósito, ministro Alexandre de Moraes, Sua Excelência que com altivez tem defendido o processo eleitoral brasileiro de sério ataque antidemocrático jamais presenciado – e que só chegou a esse ponto em razão da omissão conivente de diversos órgãos e agentes públicos", disse.

"Em apoio à missão do Tribunal Superior Eleitoral, este Supremo Tribunal Federal continuará a exercer a função de guarda da Constituição Federal de 1988", acrescentou.

Gilmar Mendes disse que o Supremo teve de atuar durante a pandemia de Covid-19 ante a "irresponsável recalcitrância" de um dos entes em proteger a vida dos brasileiros, numa referência indireta ao governo federal.

O presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), tem feito uma série de críticas a ministros do STF e do TSE por manifestações e decisões.