Giovanna Ewbank fala o que aprendeu com Taís Araújo ao se tornar mãe de Titi e Bless

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Giovanna Ewbank contou que a maternidade a aproximou de Taís Araújo. Desde que ela e Bruno Gagliasso se tornaram pais de Titi, de 9 anos, e Bless, de 7, as duas estreitaram a relação de amizade. "Para ser mãe de crianças pretas é necessário construir uma aldeia, então nossa troca é e sempre foi fundamental", ressaltou Giovanna, em post no Instagram.

'Pantanal': 'José Leôncio fez eu me enxergar como um homem maduro', diz Marcos Palmeira

Christiane F.: O que aconteceu com a mulher que inspirou livro e filme há mais de 40 anos

Taís Araújo concedeu uma entrevista ao podcast "Quem pode, pod", comandado por Giovanna e Fernanda Paes Leme, antes do episódio de racismo sofrido por Titi e Bless em Portugal. No último sábado (30), uma mulher agrediu verbalmente as crianças e uma família de turistas angolanos, no restaurante Clássico Beach Club, na Costa Caparica. Na ocasião, Giovanna discutiu com a senhora depois de ouvi-la dizer que ela gostaria de "tirar aqueles pretos imundos dali" e que "eles deveriam voltar para a África e para o Brasil".

Giovanna Ewbank conta que Taís a procurou para fazer uma espécie de alerta assim que soube que ela seria mãe e que havia adotado uma criança negra num país africano. "Nossa relação começou através de um telefonema seu, quando a Titi chegou no Brasil", relembrou Giovanna, ao lado de Taís. "Você me contou sobre a sua escola. Que você estudou numa escola particular, e que você sempre viu, na sua escola, mulheres pretas em posição de servir. E você me falou: 'Eu só te peço para que você tenha essa visão na hora de escolher a escola da sua filha'. E isso, para mim, foi de uma importância, porque você me deu um parâmetro que eu não tinha", recordou Giovanna.

"Fiquei muito pensando assim: o que vai ser da vida de uma menina negra, africana e criada por dois brancos, loiros e dos olhos azuis entre um mundo que só está a serviço deles?", contou Taís, rememorando esse momento. "Eu entendo você, Giovanna", acrescentou Taís: "Você não passou nada do que seus filhos passaram, vão passar e estão passando. Eu entendo total a sua revolta. 'Tem que ir pra porrada!'"

"Só que a gente toma porrada desde sempre. Você dando porrada em outra pessoa branca é encarado de outra maneira de eu dando porrada numa pessoa branca! É o famoso: 'vocês que são brancos, que se entendam", comentou Taís Araújo.

A atriz ainda falou sobre a "fama de metida" que possui, entre colegas atores. "Essa é uma questão que está na pele do brasileiro. É muito difícil, sim, para o brasileiro encarar uma mulher negra de frente sem tachá-la de metida, prepotente e arrogante. É um olhar que não está acostumado. Mas tem que se acostumar", avaliou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos